Dormidas em Portugal crescem 1,7% em 2018 apesar de recuo dos estrangeiros

Portugal cresce abaixo da média europeia. Estrangeiros representam a maior fatia, mas dão sinais de uma ligeira desaceleração.

Em 2018, registaram-se 73,3 milhões de dormidas nos estabelecimentos turísticos portugueses, mas foi entre os residentes que se registou um maior crescimento, segundo dados revelados esta quarta-feira pelo Eurostat.

O número de dormidas na União Europeia (UE) cresceu 2,2%, em 2018, face ao ano anterior, para 3,1 mil milhões. A Letónia (+8,3%), a Lituânia (+7,7%) e Malta (+6,5%) registaram as três maiores subidas, enquanto o Luxemburgo (-4,3%), a Irlanda (-1,5%) e Espanha (-0,9%) viram o número de dormidas descer.

Ainda assim, entre os 28 países da UE, Espanha registou o número mais elevado de dormidas, num total de 467 milhões. Logo atrás, surge França (+2,4% para 444 milhões) e a Alemanha (+4,3% para 419 milhões).

Leia também: Dormidas de estrangeiros crescem 2,2% em novembro

Apesar de ter registado um um aumento de 1,7%, o número de dormidas em Portugal está abaixo da média europeia. O mesmo verifica-se na Finlândia (1,5% para 22,2 milhões) e Reino Unido (0,9% para 350.7 milhões).

Segundo o gabinete oficial de estatísticas da UE, em 2018, os estrangeiros cortaram nas visitas à hotelaria portuguesa, com as dormidas de residentes a crescer 5,5%, por oposição a menos 0,1% de noites entre os não-residentes. Ainda assim, os turistas estrangeiros continuam a representar mais de metade das dormidas (48,8 milhões), com 24,4 milhões a pertencerem a residentes. Um efeito resultante de uma ligeira quebra dos turistas provenientes do Reino Unido e da Alemanha, os dois principais mercados turísticos para o país.

Contas feitas, de acordo com os últimos dados do Instituto Nacional de Estatísticas (INE), Portugal registou, até novembro, 55 milhões de dormidas.

*Última atualização às 12:25

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de