crédito à habitação

Doutor Finanças ajudou famílias a poupar mais de 25 milhões

Doutor Finanças, Clínica de Finanças Pessoais, em Lisboa. ( Pedro Rocha / Global Imagens )
Doutor Finanças, Clínica de Finanças Pessoais, em Lisboa. ( Pedro Rocha / Global Imagens )

A poupança global da transferência do crédito à habitação representa uma poupança anual média de 840 euros durante 30 anos.

Em 2018, o Doutor Finanças ajudou mais de mil famílias portuguesas a poupar uma média de 25 mil euros com a transferência do crédito à habitação, revela a empresa de consultoria em finanças pessoais em comunicado.

A poupança global representa uma poupança anual média de 840 euros durante 30 anos.

“O Doutor Finanças tem especialistas que fazem este trabalho de comparação e negociação de condições com as entidades bancárias, retirando o peso burocrático das famílias e ajudando-as a poupar”, destaca Rui Bairrada, CEO do Doutor Finanças. “O mercado bancário tem vindo a evoluir positivamente e a transferência do crédito habitação é atualmente uma opção que pode ajudar os portugueses a poupar muito dinheiro”.

Esta é uma prática cada vez mais usada para reduzir os encargos das famílias, uma vez que permite obter poupanças significativas, seja pela redução da taxa de juro ou pela oportunidade de renegociar os produtos.

São vários os motivos apontados pelo Doutor Finanças que fazem da transferência de crédito uma boa opção como a “folga que pode conceder ao orçamento mensal se o crédito atual tiver uma prestação demasiado elevada ou, pelo facto de o dinheiro estar neste momento mais barato, graças ao clima económico positivo”. Esta realidade tem aumentado a liquidez dos bancos e reduzido as taxas Euribor, assim como as taxas de spread. Neste momento, é possível encontrar spreads a rondar o 1%.

Outro motivo são os produtos associados ao crédito à habitação, como seguros ou cartões de crédito. Com a transferência é possível renegociar esses produtos ou até retirá-los da carteira de despesas.

Podem existir alguns custos associados a esta operação, como a comissão por reembolso antecipado, novas escrituras, a avaliação do imóvel ou as comissões de dossiê. Existem, no entanto, alguns bancos que assumem praticamente todos estes custos.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
A ministra do Trabalho, Ana Mendes Godinho (D), e o secretário de Estado do Emprego, Miguel Cabrita (E). Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Salário mínimo de 635 euros? Dos 617 dos patrões aos 690 euros da CGTP

concertação

Governo sobe, sem acordo, salário mínimo até 635 euros em 2020

concertação

Governo sobe, sem acordo, salário mínimo até 635 euros em 2020

Outros conteúdos GMG
Doutor Finanças ajudou famílias a poupar mais de 25 milhões