Draghi: Contribuintes alemães deverão lucrar com empréstimos do BCE

Mario Draghi cada vez mais pressionado
Mario Draghi cada vez mais pressionado

Os contribuintes alemães “vão ter lucros” com o programa de compra de dívida do Banco Central Europeu (BCE) desde que os países do Sul continuem a fazer reformas estruturais, disse o presidente da instituição.

“Se os governos no Sul da Europa continuarem a implementar com sucesso as reformas estruturais como nos últimos meses, os contribuintes alemães vão ter lucros com as nossas aquisições”, disse Mario Draghi numa entrevista publicada à revista alemã Der Spiegel.

Na entrevista, Draghi foi confrontado com as preocupações alemãs relativamente à política seguida pelo BCE — nomeadamente ao programa de compra de dívida pública de países em dificuldade.

Interrogado sobre se serão os contribuintes — e em particular os alemães — a ter de pagar a fatura por estas aquisições, Draghi respondeu: “Não prevejo isso. Pelo contrário, até agora tivemos lucro com as nossas compras de obrigações, que foram para os bancos centrais nacionais, que por sua vez beneficiam governos e contribuintes.”

A Spiegel começa a entrevista perguntando a Draghi se tem conta a prazo (“sim”), e se sabia qual era a taxa que estava a receber.

“Cerca de 1,75%. Esse é a taxa atual para poupanças em Itália”, respondeu Draghi, com os jornalistas a replicar que na Alemanha se pagam taxas de juro igualmente baixas, em consequência da política monetária do BCE.

No entanto, disse o banqueiro italiano, “se não resolvermos a crise do euro, todos pagaremos”: “Se a resolvermos, todos irão beneficiar, em particular os contribuintes e aforradores alemães.”

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O primeiro-ministro, António Costa. Foto: Rodrigo Antunes/EPA

Costa agradece às forças armadas e defende o seu uso com analogia futebolística

O primeiro-ministro, António Costa. Foto: Rodrigo Antunes/EPA

Costa agradece às forças armadas e defende o seu uso com analogia futebolística

Francisco São Bento, presidente do SNMMP. Foto: Sara Matos/Global Imagens

Cinco momentos chave numa greve de sete dias

Outros conteúdos GMG
Draghi: Contribuintes alemães deverão lucrar com empréstimos do BCE