Coronavírus

Dubai vai injetar capital na companhia aérea Emirates

Emirates
Fotografia: D.R.

A Emirates, que tem a maior frota de aviões gigantes A-380 com 118 exemplares, suspendeu os voos de passageiros na semana passada,

O Dubai vai injetar capital na companhia aérea Emirates para a ajudar a atravessar a crise causada pela pandemia do novo coronavírus, que obrigou a transportadora a suspender os voos de passageiros.

A Emirates Airlines, com uma frota de 271 de aviões de grandes dimensões, é a maior companhia aérea do Médio Oriente e uma peça fundamental para a economia do Dubai e dos Emirados Árabes Unidos, em geral.

“O Governo do Dubai compromete-se a apoiar em pleno a Emirates neste momento crítico e vai injetar capitais na companhia”, declarou o príncipe herdeiro do emirado, Hamdane ben Mohammed ben Rached Al-Maktoum, no Twitter.

“A Emirates, a nossa transportadora nacional, fez do Dubai uma placa giratória mundial do transporte aéreo e tem grande valor estratégico, sendo um dos principais pilares da economia do Dubai e dos Emirados Árabes Unidos”, acrescentou, sem adiantar detalhes sobre a intervenção.

A Emirates, que tem a maior frota de aviões gigantes A-380 com 118 exemplares, suspendeu os voos de passageiros na semana passada, no momento em que o país adotou medidas para conter a propagação do novo coronavírus.

A companhia reduziu os custos baixando entre 25 e 50% os salários base da maior parte dos 100 mil funcionários, sublinhando que esta decisão se destinava a evitar despedimentos.

A companhia aérea transportou cerca de 90 milhões de passageiros no ano passado e é uma das poucas com lucros nos últimos anos.

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA) indicou na semana passada que as receitas das companhias aéreas do Médio Oriente devem registar uma descida de 19 mil milhões de dólares em 2020, uma redução de 39% em relação ao ano anterior.

Nos Emirados Árabes Unidos, uma federação com sete membros, incluindo o Dubai, foram assinalados 611 casos de covid-19 e cinco mortes.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O primeiro-ministro, António Costa. JOÃO RELVAS/POOL/LUSA

Governo cria complemento salarial até 350 euros para trabalhadores em lay-off

O primeiro ministro, António Costa, fala aos jornalistas durante a conferência de imprensa, 04 junho 2020, realizada no final da reunião do Conselho de Ministros, no Palácio da Ajuda, em Lisboa.     MANUEL DE ALMEIDA / POOL/LUSA

Banco de Fomento para Portugal com “aprovação provisória”

O primeiro ministro, António Costa, fala aos jornalistas durante a conferência de imprensa realizada no final da reunião do Conselho de Ministros, no Palácio da Ajuda,  em Lisboa, 29 de maio de 2020. O Governo decidiu adiar a passagem para a terceira fase de desconfinamento na Área Metropolitana de Lisboa e criou regras especiais, sobretudo em atividades que envolvem “grande aglomerações de pessoas”.  MANUEL DE ALMEIDA/POOL/LUSA

Trabalhadores em lay-off passam a receber entre 77% e 92% do salário

Dubai vai injetar capital na companhia aérea Emirates