OE2018

Subsídios por duodécimos no privado também acabam em 2018

PCP

Afinal, em 2018, os trabalhadores do sector privado já não vão poder optar por receber os subsídios de férias e Natal em duodécimos.

O PCP avançou com uma proposta de eliminação da norma do Orçamento do Estado para 2018 que renovava o regime de duodécimos no pagamento dos subsídios de Natal e de férias dos trabalhadores do sector privado. A proposta foi aprovada, pelo que, no próximo ano, estes subsídios passam a ser pagos integralmente nas datas previstas na lei (Código do Trabalho).

Em 2013, o governo avançou com um regime que permitia aos trabalhadores do sector privado receber metade dos subsídios de férias e de Natal em regime de duodécimos e os restantes 50% nas datas previstas na lei (habitualmente no mês anterior ao do maior período de férias e em novembro). Esta medida permitiu mitigar o efeito da enorme subida de impostos verificada naquele ano.

Um regime semelhante foi criado para a função pública e pensionistas, mas com algumas diferenças: nestes casos os duodécimos eram obrigatórios, enquanto no privado o trabalhador podia escolher por receber tudo de uma vez.

Esta possibilidade tem sido renovada nestes últimos anos, de forma sucessiva, nos Orçamentos do Estado e na proposta de OE que deu entrada na Assembleia da República no dia 13 de outubro, estava novamente prevista. Mas a versão do Orçamento que vai ser aprovada no dia 27 de novembro (data da votação final global) deixa cair a renovação desta regra.

Em 2018, o governo já tinha decidido repor a normalidade das datas e do ritmo do pagamento dos subsídios na função pública e junto dos pensionistas e esta foi uma das justificações do PCP para propor a eliminação da regra no sector privado.

A eliminação deste regime de duodécimos no privado surgiu por proposta do PCP, tendo sido aprovada com os votos favoráveis do PS, BE, CDS/PP e Verdes. Apenas o PSD votou contra.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
REUTERS/Pedro Nunes/File Photo

Programa de arrendamento acessível arranca a 1 de julho. Tudo o que deve saber

Fotografia: Pedro Rocha/Global Imagens

Governo questiona RTP sobre não transmissão de Jogos de Minsk

DHL Express Store2

DHL Express vai investir até 600 mil euros em rede de lojas pelo país

Outros conteúdos GMG
Subsídios por duodécimos no privado também acabam em 2018