vinho

“É urgente investir mais nos vinhos Verdes”

Vinhos verdes têm margem de crescimento

A Região dos Vinhos Verdes tem de apostar na viticultura se quer continuar a crescer. Há 10 anos que as exportações de vinho Verde não param de aumentar: só este ano, o crescimento é já de 14%, mas a oferta e a procura estão ao mesmo nível. Não há stocks. Os investimentos em vinha são urgentes.

“Vivemos um momento de equilíbrio em que todos os anos os nossos stocks esgotam e o crescimento da região terá de se fazer pela viticultura. É essa a nova fronteira dos vinhos Verdes. A região está a fazer 700 hectares de vinha nova ao ano, mas é urgente investir mais”, diz o presidente da Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes (CVRVV).

Manuel Pinheiro, que falava na gala e entrega de prémios da edição de 2015 dos “Melhores Verdes”, desafiou, ainda, os viticultores a concentrarem-se nas castas típicas da região. Por outro lado, aproveitou a ocasião para fazer referência à nova lei quadro das regiões, que o Governo está a preparar, sublinhando que a mesma “gera oportunidades, mas também apreensões”.

Nova lei quadro das regiões

Para o responsável, a nova lei quadro deve “respeitar a diversidade e não nivelar, muito menos por baixo”. E serviu-se do exemplo da comissão a que preside: 14 anos de “resultado equilibrado”, apesar de não aumentar taxas há sete anos; uma aposta no apoio aos viticultores, ao nível da formação e do marketing, mas também com um seguro coletivo de colheitas.

“Mais liberdade”, acompanhada de uma “maior responsabilização” é o que os Verdes querem, com Manuel Pinheiro a apelar ao Governo para que “oiça as regiões demarcadas”. Na sua opinião, há que permitir que o interprofissional, órgão de representação equitativa do comércio e da produção, “decida o futuro da sua região sem a interferência do Estado”.

Ontem à noite, a cerimónia ficou marcada pela homenagem a Manoel de Oliveira, nascido em 1908, exatamente o mesmo ano da carta de lei que demarcou a Região dos Vinhos Verdes (junto com o Dão, Colares e Carcavelos). A propósito, foi passado um pequeno excerto do documentário de 1940, intitulado Famalicão, e no qual o realizador retratava a vida do concelho e as vindimas.

“Melhores Verdes”: Três Alvarinhos no Top 5 de 2015

Quinta de Linhares Arinto, Dona Paterna Alvarinho, Modestu”s Arinto, Quinta das Pereirinhas Alvarinho e Terras de Monção Alvarinho são os Top 5 dos “Melhores Verdes”.

O júri, constituído por representantes dos principais mercados de exportação da região, teve a seu cargo a prova de 250 vinhos distintos e atribuiu 30 medalhas, distribuídas entre as categorias Best Of (Top 5), Ouro, Prata e Honra. Com a medalha de ouro foram 12 os vinhos distinguidos. A prata foi atribuída a 13 referências.”Há mais de 35 anos que a região distingue as melhores colheitas em prova cega e, nos últimos anos, sabemos que estamos a destacar produtores que somam prémios em muitos países”, destacou Manuel Pinheiro.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Lisboa,  29/09/2020 - Ursula Von der Leyen, Presidente da Comissão Europeia.
(Paulo Alexandrino/Global Imagens)

Ursula von der Leyen. “Portugal é único e tem agora oportunidades maravilhosas”

Portugal's Prime Minister Antonio Costa speaks during presentation of the European and Portuguese Recovery and Resilience Plans, at Champalimaud Foundation, in Lisbon, Portugal, 29 September 2020. Ursula Von Der Leyen is in Lisbon for a two-day official visit. MÁRIO CRUZ/LUSA

Portugal recorrerá só a subvenções. Empréstimos só quando situação melhorar

ANTONIO COTRIM/ LUSA

Von der Leyen: Instrumento “SURE é um escudo para os trabalhadores e empresas”

“É urgente investir mais nos vinhos Verdes”