ataque informático

EasyJet desconhece número de portugueses afetado por ciberataque

easyjet aviao
Fotografia: Global Imagens

A investigação forense em curso constatou que o nome, endereço de email e detalhes de viagens de cerca de nove milhões de clientes foram pirateados.

A EasyJet, companhia britânica que opera em Portugal, foi alvo de um ciberataque, que envolveu os dados pessoais cerca de nove milhões de clientes. A transportadora, que apelidou o ataque de “altamente sofisticado”, não consegue saber neste momento quantos portugueses poderão ter agora os seus dados pessoais nas mãos dos piratas informáticos.
Fonte oficial da empresa no Reino Unido adiantou apenas que a investigação forense em curso “constatou que o nome, endereço de email e detalhes de viagens de aproximadamente nove milhões de clientes” foram pirateados. “Detalhes de passaporte e financeiros não foram afetados”, disse ainda a mesma fonte, apesar de ontem ao fim da manhã a companhia ter avançado que os dados de cartão de crédito de 2.208 clientes tinham sido expostos.
A EasyJet já apresentou desculpas às pessoas alvo do ciberataque e disse não ter indícios que levem a crer que as informações roubadas foram utilizadas para fins nocivos, mas pediu aos clientes para “estarem muito atentos”.
A transportadora low cost está a viver momentos difíceis, como a generalidade das companhias aéreas, devido à paragem dos voos fruto da pandemia do novo coronavírus.
Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O primeiro-ministro, António Costa. JOÃO RELVAS/POOL/LUSA

Governo cria complemento salarial até 350 euros para trabalhadores em lay-off

O primeiro ministro, António Costa, fala aos jornalistas durante a conferência de imprensa, 04 junho 2020, realizada no final da reunião do Conselho de Ministros, no Palácio da Ajuda, em Lisboa.     MANUEL DE ALMEIDA / POOL/LUSA

Banco de Fomento para Portugal com “aprovação provisória”

O primeiro ministro, António Costa, fala aos jornalistas durante a conferência de imprensa realizada no final da reunião do Conselho de Ministros, no Palácio da Ajuda,  em Lisboa, 29 de maio de 2020. O Governo decidiu adiar a passagem para a terceira fase de desconfinamento na Área Metropolitana de Lisboa e criou regras especiais, sobretudo em atividades que envolvem “grande aglomerações de pessoas”.  MANUEL DE ALMEIDA/POOL/LUSA

Trabalhadores em lay-off passam a receber entre 77% e 92% do salário

EasyJet desconhece número de portugueses afetado por ciberataque