Economia chinesa conseguirá crescer cerca de 7,5% em 2014

Chanceler alemã Angela Merkel e primeiro-ministro chinês Li Keqiang
Chanceler alemã Angela Merkel e primeiro-ministro chinês Li Keqiang

O primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, manifestou-se hoje confiante que a economia da China, a segunda maior do mundo, conseguirá crescer cerca de 7,5% em 2014 apesar do abrandamento registado no primeiro trimestre do ano.

“Temos condições e capacidade para a economia chinesa continuar a crescer dentro de uma margem razoável e alcançar a meta de crescimento económico para este ano”, disse Li Keqiang, num encontro com jornalistas após conversações com a chanceler alemã, Angela Merkel.

Leia também:Chineses já compram 18 milhões de euros de rolhas a Portugal

No primeiro trimestre de 2014, o crescimento da economia chinesa abrandou para 7,4%, o valor mais baixo num ano e meio, mas “as condições melhoraram” no trimestre seguinte, referiu Li Keqiang.

O primeiro-ministro chinês alertou, contudo, que o abrandamento continua a ser um risco, afirmando que, nesse aspeto, “a China não pode ser complacente”.

No relatório do Governo apresentado em março à Assembleia Nacional Popular (parlamento), Li Keqiang preconizou para 2014 um crescimento económico de cerca de 7,5%, o que corresponde a um abrandamento de 0,2 pontos percentuais em relação ao ano anterior.

Angela Merkel chegou no domingo à China, para a sua sétima visita àquele país em apenas nove anos.

A Alemanha é o maior parceiro comercial da China na Europa e o país da União Europeia que mais investe na economia chinesa.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(Artur Machado / Global Imagens)

Dinheiro Vivo mantém-se líder digital dos económicos

(Artur Machado / Global Imagens)

Dinheiro Vivo mantém-se líder digital dos económicos

O ex-governador do Banco de Portugal (BdP), Vítor Constâncio, fala perante a II Comissão Parlamentar de Inquérito à Recapitalização da Caixa Geral de Depósitos e à Gestão do Banco, na Assembleia da República. TIAGO PETINGA/LUSA

Constâncio: Risco para a estabilidade no crédito a Berardo era “problema da CGD”

Outros conteúdos GMG
Economia chinesa conseguirá crescer cerca de 7,5% em 2014