INE

Economia cresce mais que o esperado: 2,7% em 2017

impostos investimento défice
Primeiro-ministro, António Costa, e Mário Centeno, ministro das Finanças. Fotografia: REUTERS/Rafael Marchante

Maior crescimento em 17 anos. Contributo positivo da procura interna diminuiu. Investimento e consumo ajudam menos. Exportações ajudam mais.

A economia portuguesa cresceu mais do que o esperado em 2017. Em vez de 2,6%, que era o valor consensual entre várias instituições, o produto interno bruto (PIB) acabou por avançar 2,7%, avançou o INE, esta quarta-feira. É o ritmo mais acelerado dos últimos 17 anos.

O INE informa ainda que no último trimestre do ano passado a economia cresceu 2,4%, menos uma décima do que no terceiro trimestre. O PIB “aumentou 2,4% em volume no 4º trimestre de 2017 (2,5% no trimestre anterior)”.

“O contributo positivo da procura interna para a variação homóloga do PIB diminuiu, em resultado do abrandamento do investimento e do consumo privado”, mas em compensação, a procura externa líquida (a diferença entre exportações e importações) já deu um contributo positivo, quando no trimestre anterior tinha sido negativo.

Isto reflete “a aceleração em volume das exportações de bens e serviços e a desaceleração das importações”, diz o INE.

O crescimento de 2,7% em 2017, além de ser o mais forte desde 2000 (em 17 anos), foi ligeiramente maior do que se esperava. O governo no Orçamento do Estado apontava para 2,6%; as restantes instituições (Comissão, FMI, OCDE, Banco de Portugal) previam o mesmo. Em 2016, a economia terá crescido apenas 1,5%, reafirma o instituto.

Mas, ao contrário do que aconteceu com a variação dos trimestres, o reforço anual (entre 2016 e 2017) veio mais da economia interna do que do comércio internacional.

“Resultou do aumento do contributo da procura interna, refletindo principalmente a aceleração do investimento, uma vez que a procura externa líquida apresentou um contributo idêntico ao registado em 2016”, diz o destaque do INE.

Esta é a primeira estimativa rápida para o último trimestre do ano e para 2017. Os resultados completos das Contas Nacionais Trimestrais do 4º trimestre de 2017 “serão divulgados no próximo dia 28 de fevereiro de 2018”, refere o INE.

Pior que a zona euro

Com aquela expansão do PIB de 2,4% na reta final do ano, Portugal continua a crescer abaixo da média da zona euro e do resto da Europa.

Segundo informa hoje também o Eurostat, a zona euro estava a expandir-se 2,7% no último trimestre (a União Europeia 2,6%). Destaque para os crescimentos de Espanha e Alemanha, que evoluíram a um ritmo de 2,9% e 3,1%, respetivamente.

(atualizado às 10h35)

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Fotografia: Adelino Meireles/Global Imagens

IEFP. Desemprego registado cai para mínimo de 16 anos

Turismo. Fotografia: REUTERS/Nacho Doce

Excedente comercial nacional afunda mais de 68% no 1º semestre

O ministro das Finanças, Mário Centeno MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Orçamento pode trazer novo alívio de 200 milhões de euros no IRS

Outros conteúdos GMG
Economia cresce mais que o esperado: 2,7% em 2017