Economia da partilha

Economia da partilha poderá ter impacto de 300 mil milhões em 2025

Estudo alerta para o vazio legal que algumas destas empresas enfrentam a nível mundial

Mais de 300 mil milhões de euros. Este poderá ser o impacto mundial da economia da partilha em 2025, segundo os dados da consultora Pricewaterhouse Coopers divulgados pelo estudo “Os limites da economia colaborativa”, elaborada pela espanhola Online Business School (OBS).

O documento, citado pelo jornal Expansión, analisa a rentabilidade e o crescimento do consumo colaborativo e os riscos e dificuldades deste tipo de iniciativas. Em 2015, já havia mais de 7 500 plataformas de economia da partilha a nível mundial.

Do lado dos fatores de sucesso, a Internet e as redes sociais, ao facilitar a pesquisa eficiente de pessoas interessadas no uso de um determinado produto ou serviço, permitem poupar tempo e custos, ao mesmo tempo que automatizam os processos e permitem maior transparência na informação.

Do lado dos riscos, o estudo alerta para o vazio legal que algumas destas empresas enfrentam a nível mundial.

A União Europeia calculou que a economia da partilha causou um impacto de 28 mil milhões de euros em 2015. Bruxelas defendeu no início de junho que as empresas ligadas a esta revolução, como Uber e Airbnb, só devem ser proibidas em último recurso.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Turistas passeiam na baixa de Quarteira dia 19 de março de 2020. (LUÍS FORRA/LUSA)

Desemprego no Algarve triplica em maio por quebras no turismo

(MANUEL DE ALMEIDA/LUSA)

OE Suplementar: Oposição levou 263 propostas a votação, passaram 35

O primeiro-ministro, António Costa (E), conversa com o ministro de Estado e das Finanças, João Leão (D), durante o debate e votação da proposta do orçamento suplementar para 2020, na Assembleia da República, em Lisboa, 17 de junho de 2020. MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

O Orçamento Suplementar em 5 minutos

Economia da partilha poderá ter impacto de 300 mil milhões em 2025