Energia

EDP Brasil quer duplicar presença no país até 2020

Miguel Setas, presidente da EDP Brasil
Miguel Setas, presidente da EDP Brasil

Com um valor de cerca de 2 mil milhões de euros, a EDP Brasil é a oitava maior empresa do índice brasileiro de companhias de energia elétrica.

A EDP quer duplicar o seu tamanho no Brasil até 2020, com impulso na distribuição e transmissão de energia, um segmento onde prevê investir cerca de 705 milhões de euros nos próximos quatro anos, foi hoje anunciado.

Em declarações à agência Bloomberg, o presidente da EDP no Brasil (EDPB), Miguel Setas, adiantou que o segmento de transmissão deverá passar a representar 20% do EBITDA (resultado antes de impostos, juros, depreciações e amortizações) da empresa até 2021, sendo que, atualmente, esta área não tem expressão no resultado da energética.

O responsável da EDP no Brasil disse ainda que a empresa está “completamente otimista” com a economia do país, afirmando que, com taxas de juro de um dígito e uma inflação moderada, falta apenas crescimento e materialização da agenda de reformas do Governo.

O plano de crescimento da empresa inclui também a monitorização de oportunidades para controlar ou aumentar a sua participação nas centrais Santa Catarina, bem como adquirir outros ativos estratégicos.

Miguel Setas acrescentou também que o segmento da energia solar está igualmente nos planos da empresa.

Com um valor de mercado de 9,4 biliões de reais (cerca de 2 mil milhões de euros), a EDP Brasil é a oitava maior empresa do índice brasileiro de companhias de energia elétrica.

De acordo com os dados avançados pela Bloomberg, nos primeiros nove meses de 2018, a empresa registou 748,7 milhões de reais (sensivelmente 175 milhões de euros) de lucro líquido ajustado.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

O ministro das Finanças, Mário Centeno. Fotografia: JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

Centeno mantém crescimento de 1,9% este ano. Acelera para 2% no próximo

O ministro das Finanças, Mário Centeno. Fotografia: José Sena Goulão/Lusa

Dívida pública desce mais devagar do que o previsto

Outros conteúdos GMG
EDP Brasil quer duplicar presença no país até 2020