Energia

EDP Comercial estreia “novas cores”, ERSE atrasa decisão sobre mudança de imagem

A carregar player...

A nova linha gráfica da EDP Comercial surge quando a ERSE está analisar a mudança de imagem da EDP Distribuição e da EDP Serviço Universal

Não se trata, por enquanto, de uma nova imagem de marca, mas a EDP Comercial decidiu encerrar 2018 com um “novo posicionamento” no mercado e uma nova forma de comunicar com os clientes. “O mundo está diferente e a EDP Comercial também. É isso que sentimos neste final de ano, uma necessidade de afirmação de uma nova forma de comunicar com o cliente final”, anunciou esta terça-feira a nova CEO da EDP Comercial, Vera Pinto Pereira, sublinhando: “Esta não é uma campanha de produto, não é uma campanha de atualização de preços, não é uma promoção, mas sim uma campanha de posicionamento. Se não soubermos comunicar, será difícil que os clientes nos reconheçam legitimidade para abrir a porta e lhes vendermos o que sabemos que eles precisam, e que se calhar eles ainda não sabem que precisam”.

O objetivo principal passa por mais do que duplicar o número de clientes da EDP que têm contratados serviços adicionais entre 2019 e 2021, dos atuais 18% para 40%, ou seja 1,6 milhões de um total de quatro milhões de clientes. A estratégia é crescer nos próximos anos por via da venda de serviços adicionais, como o serviço de reparações e manutenção Funciona, planos de saúde, certificação energética, mobilidade elétrica, sistemas de armazenamento e baterias de lítio, painéis fotovoltaicos, entre outros.

“Este reposicionamento nasceu da necessidade de partilhar que a EDP Comercial está a mudar […] tornando-se cada vez mais relevante na vida das pessoas, pela oferta de produtos e serviços cada vez mais diversificada”, explicou a empresa em comunicado.

Com três filmes diferentes, a nova campanha da EDP “retrata diferentes cenários com pessoas em situações de vida completamente distintas, retrata diversidade”. Terá a duração de três semanas e será veiculada em TV, rádio, imprensa, digital e outdoor.

Apesar de Vera Pinto Pereira garantir que não se trata de uma mudança de imagem da EDP Comercial, a CEO admite uma “nova linha gráfica que está refletida na mensagem – “A energia das pessoas” – e também numa nova paleta de cores”. Começamos na origem – a EDP -, este é o nosso ponto de partida, a nossa identidade, de onde vem uma herança muito rica, que assumimos com orgulho, mas que tem um novo pulsar”.

Esta nova linha gráfica e nova paleta de cores da EDP Comercial surge, no entanto, num momento em que a ERSE está ainda a analisar as propostas do grupo EDP para mudar a imagem da EDP Distribuição e da EDP Serviço Universal na sequência de uma exigência da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos.

“A mudança de imagem que está prevista é na EDP Distribuição e na EDP Serviço Universal. Sobre essa matéria, nós apresentámos propostas ao regulador que estão em fase de aprovação e que terão o seu desfecho. Esta é simplesmente uma evolução da nossa dimensão comercial. Continuamos a ser EDP, o nosso braço comercial é que sentiu necessidade de revisitar a sua linguagem gráfica e estilo de comunicação num mercado massificado de quatro milhões de clientes, explicou Vera Pinto Pereira.

Fonte oficial da ERSE disse ao Dinheiro Vivo que a decisão sobre as novas imagens para as várias empresas do grupo EDP “está ainda pendente” por causa do concurso público que vai ser lançado em 2019 para as concessões da distribuição de eletricidade em baixa tensão. Nos últimos 20 anos a EDP Distribuição assumiu a distribuição de eletricidade pelas casas das famílias e pequenas e médias empresas, mas agora que se avizinha o fim dos contratos já há autarquias interessadas em substituir a EDP e fazer a exploração direta. “O processo superveniente das concessões de distribuição de energia elétrica em baixa tensão introduziu elementos novos e morosidade na apreciação desta questão, a qual está ainda pendente”, disse fonte da ERSE, fazendo um ponto de situação sobre as novas imagens do grupo EDP.

Em 2018, e pela primeira vez desde a entrada em vigor do mercado livre de eletricidade, a ERSE incluiu no Regulamento de Relações Comerciais a obrigação dos operadores de rede e comercializadores dentro do mesmo grupo económico adotarem um grafismo claramente distinto (logótipo e designação comercial) com vista a evitar confusões por parte dos consumidores.

A exigência teve como alvo o grupo EDP, que com a EDP Serviço Universal opera no mercado regulado com tarifas fixadas anualmente pelo regulador, e com a EDP Comercial atua no mercado livre de energia, a par de outros operadores. Soma-se ainda a EDP Distribuição, responsável pela entrega da energia elétrica aos clientes ligados às suas redes. Todas elas partilham o mesmo logótipo e uma imagem comum a todo o grupo.

A EDP Distribuição (que detém a EDP Serviço Universal, que opera no mercado regulado) já registou no Instituto Nacional da Propriedade Intelectual quatro novas marcas distintas: “SU Eletricidade”, “CUR Eletricidade”, “SEU Eletricidade” e “Sempre Energia”, com quatro logótipos a preto e branco.

A EDP Distribuição pediu ao regulador o prazo de um ano e maio para completar o processo de mudança de imagem.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Mário Centeno

Centeno volta a cativar mais dinheiro

Natalidade. Fotografia: Pedro Granadeiro / Global Imagens

Despesa com apoios à família é a quinta mais baixa da UE

Foto: D.R.

Coronavírus: EasyJet vai cancelar voos de e para Itália

EDP Comercial estreia “novas cores”, ERSE atrasa decisão sobre mudança de imagem