EDP passa de 40 para 300 postos de carregamento elétrico até ao fim de 2020

A EDP vai instalar "130 postos de carregamento elétricos até ao final deste ano". Até ao final de 2020 serão já 300, na sua maioria rápidos.

Acabado de chegar de São Paulo, onde a EDP já tem 10 carregadores e onde esteve reunido com grandes empresas construtoras de automóveis, como a Porsche, Volkswagen, Audi, entre outras, para elaborar um projeto de ligação das principais vias da maior cidade da América Latina, o CEO da EDP António Mexia anunciou em entrevista à TSF e na abertura da segunda edição do Lisbon Mobi Summit a intenção de instalar "130 postos de carregamento elétricos até ao final deste ano.

Até ao final de 2020 serão já 300, na sua maioria rápidos". 2019 é também o ano em que a elétrica inaugura em território nacional o primeiro carregador ultrarrápido, no Estádio da Luz.

Neste momento a EDP tem apenas cerca de 40 carregadores elétricos já instalados em Portugal, o que significa que o número vai mais do que triplicar até ao final de 2019. Daqui a um ano, no fim de 2020, o parque de postos de carregamento da EDP já terá crescido 7,5 vezes, um salto dos atuais 40 para os projetados 300 carregadores.

Tal como o ministro do Ambiente e Transição Energética, Matos Fernandes, avançou, também Mexia garantiu que o preço da eletricidade vai baixar, muito por conta das renováveis, que são a "fonte mais barata".

"Vamos ter preços da energia mais baixos para os consumidores. Os custos com o solar já desceram 80% e no eólico desceram 60%. Vamos ter de refletir isto nas faturas dos consumidores. Eletricidade vai ser mais barata, ponto", garantiu António Mexia, que conduz ele próprio um híbrido plug-in, em distâncias nunca superiores a 40 quilómetros e que por isso circula quase sempre em "modo elétrico".

À TSF, o CEO da EDP tinha entretanto já defendido que "é preciso simplificar" a experiência de carregamento de carros elétricos. "A experiência das pessoas ainda não é a melhor", admitiu António Mexia em declarações em direto na Manhã TSF especial a partir da Portugal Mobi Summit. "Não é uma experiência digital de ponta. Ainda há um cartão físico, ainda é preciso estar registado antes para poder pagar" a eletricidade com que se abastece o carro nos postos de carregamento.

No arranque da cimeira Portugal Mobi Summit, o CEO da EDP sublinhou que "a mobilidade assume um papel central, tendo em conta que só o setor dos transportes representa 25% das emissões totais".

Veja toda a cobertura do Portugal Mobi Summit 2019.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de