Energia

Eletricidade. Mercado liberalizado ganhou 10 mil novos clientes

Energia elétrica. Fotografia: Global Imagens
Energia elétrica. Fotografia: Global Imagens

No total, este segmento de mercado conta já com quase 5,3 milhões de clientes

 

O mercado livre de eletricidade, em Portugal, alcançou, em maio, um número total de 5,287 milhões de clientes, o que representa um acréscimo de mais 10 mil contratos do que no mês anterior. Comparativamente ao anterior, ingressaram no mercado liberalizado mais 128 mil novos clientes.

Os dados são da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE), em cujo boletim do mercado liberalizado, dá conta que, no decurso do mês de maio, houve 19.983 clientes que passaram a ser fornecidos por um comercializador do mercado livre, o que corresponde a uma média diária de 645 novos clientes. No total, as novas entradas em mercado livre representam 107 gigawatts hora de consumo, fazendo subir para 42.446 GWH o consumo total neste segmento de mercado.

Destes 19.983 novos clientes do mercado livre, só 3.579 transitaram do mercado regulados. A grade fatia, 16.404 casos, é de novos contratos realizados diretamente com os comercializadores em regime de mercado.

No mesmo período, saíram do mercado livre 9.926 clientes, responsáveis por 32GWh de consumo. Diz a ERSE que “grande parte” destes clientes são saídas sem contrato, ou seja, que deixaram de ser abastecidos por qualquer um dos operadores existentes no mercado. O que faz com que o saldo líquido de entradas e saídas sejam os tais 10.057 clientes, responsáveis por 75 GWh de consumo.

Recorde-se que a lei permite que os consumidores domésticos possam optar pelo regime equiparado ao das tarifas transitórias ou reguladas e, no mês em causa, regressaram ao mercado regulado 78 clientes. No total, o mercado regulado contava, em maio, com 1,01 milhões de clientes dos cerca de 6,29 milhões totais existentes em Portugal. O que significa que o mercado livre é responsável por 88% do total do segmento dos consumidores domésticos, 2 pontos percentuais acima de maior de 2019.

As maiores mexidas no mercado são mesmo as trocas entre comercializadores, o que atesta a crescente atenção do consumidor para a existência de diferentes ofertas de eletricidade junto dos diversos operadores. Assim, e segundo a ERSE, registaram-se em maio 33.994 mudanças de carteira entre comercializadores no mercado livre, mais 6.528 do que em abril. Diz o regulador que “o retorno da atividade é visível nestes valores, observando-se uma recuperação relativamente a abril, mês em que se registaram valores de entrada dos mais baixos desde 2012”.

Já no que ao consumo diz respeito, os portugueses gastaram, em maio, 3.635 GWh de eletricidade, mais 1,4% que em abril. Comparativamente a maior de 2019, o consumo médio diário caiu 12,2%.

Em termos de empresas a operar no mercado, “a EDP Comercial manteve a sua posição de principal operador no mercado livre, tanto em número de clientes (77%), embora tenha diminuído 0,2 p.p. [pontos percentuais], situação que se verifica desde abril de 2019, como em consumo (41%), registando um aumento de 0,1 p.p. relativamente ao mês anterior”, indicou a ERSE.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Covid-19: ministra Mariana Vieira da Silva preside à reunião de trabalho com os presidentes de Câmara dos municípios de Lisboa, Amadora, Sintra, Odivelas e Loures

Autarquias podem alterar horários de lojas na Grande Lisboa

O ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, fala durante a sua audição perante a comissão de Economia, Inovação, Obras Públicas e Habitação, na Assembleia da República, em Lisboa, 07 de julho de 2020. ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Siza Vieira. Banco de Fomento vai começar a dar crédito em outubro

covid 19 portugal casos coronavirus DGS

Mais 325 infetados e seis mortes por covid-19 em Portugal. Números sobem

Eletricidade. Mercado liberalizado ganhou 10 mil novos clientes