Em cada 10 euros de gasolina, sabe quanto paga de impostos?

A APETRO fez as contas e dá a resposta: por cada 10 euros de gasolina 95 que abastece 6,2 euros (61%) dizem respeito ao ISP e ao IVA.

Quando para na bomba para encher o depósito, alguma vez parou para pensar o que realmente está incluído no valor que paga pelo gasóleo ou gasolina com abastece o seu carro?

Para ajudar os consumidores, a Associação Portuguesa de Empresas Petrolíferas (APETRO) fez as contas e chegou à conclusão que em 10 euros de gasolina 95 abastecidos (o que equivale 6,66 litros, a um preço médio de 1,502 euros por litro) muito mais de metade são impostos (ISP+IVA): 6,2 euros (61%). A segunda maior fatia - 2,8 euros (28%) - vai para os custos associados à matéria-prima, ou seja, ao petróleo, desde a extração à refinação. Paga-se ainda oito cêntimos pela armazenagem, distribuição e comercialização e dois cêntimos de sobrecusto associado à incorporação de biocombustíveis.

Caso decida encher o depósito com 50 euros de gasolina 95 (33,3 litros), os valores disparam para 31 euros só de impostos, 14 euros de matéria-prima, 4 euros de armazenagem, distribuição e comercialização e um euro de incorporação de biocombustíveis.

A verdade, diz a APETRO, é que “o preço do petróleo bruto pode mudar muito, e muito rapidamente, como uma montanha russa”. E questiona: “Mas se o preço do petróleo bruto varia, porque é que o preço que pagamos para encher o depósito do nosso carro não varia na mesma proporção?”

A resposta também vem das petrolíferas: “O custo do crude constitui apenas uma parte do que nós pagamos no posto de abastecimento. Em alguns países, representa apenas cerca de um quarto do preço final. O montante que pagamos para a gasolina, gasóleo e outros combustíveis depende de vários fatores, muitos dos quais são relativamente estáveis e não proporcionais ao preço do crude”.

Na União Europeia, o custo do processo – desde a extração do petróleo à venda do combustível - representa pouco mais de um terço do preço médio da gasolina na União Europeia. Para o gasóleo, este montante é um pouco superior, mas não chega a metade do preço que pagamos no posto de abastecimento. A maior fatia vai para os impostos sobre o consumo e IVA.

“Os impostos especiais de consumo, a maior componente fiscal, são para a maioria dos países europeus, um montante fixo que permanece inalterado por longos períodos, independentemente do preço do crude. Estes impostos também variam de país para país e de acordo com o tipo de combustível, razão pela qual os preços são tão diferentes em toda a Europa”, refere a APETRO.

Além disso, “o petróleo bruto é transacionado em dólares, enquanto os combustíveis são vendidos em euros, ou seja, as variações do câmbio também influenciam o preço final de venda ao público”.

As petrolíferas garantem que as variações do preço do petróleo bruto têm apenas um impacto limitado sobre o preço de venda. “Uma diminuição de 50% no preço do petróleo bruto, pode levar, por exemplo, a uma descida de 15% a 20% no preço de venda ao público”, conclui a APETRO.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de