OCDE

Emprego cresceu 0,4 pontos percentuais em Portugal no 3º trimestre de 2018

Feira de Emprego da FEP. Fotografia: D.R.
Feira de Emprego da FEP. Fotografia: D.R.

No conjunto dos países da OCDE a taxa de emprego cresceu 0,1 pontos percentuais para 67,8%

A taxa de emprego na OCDE aumentou 0,1 pontos percentuais no terceiro trimestre de 2018, face ao trimestre anterior, para 68,4%, com Portugal a progredir 0,4 pontos percentuais, para 70,0%, divulgou hoje a instituição.

De acordo com as estatísticas trimestrais do emprego da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), a taxa de emprego em Portugal no terceiro trimestre do ano passado foi de 70,0%, acima do valor observado no trimestre anterior (69,6%) e um ano antes (68,2%).

Em termos homólogos, no conjunto dos países da OCDE, a taxa de emprego (percentagem de pessoas com emprego entre a população com idades compreendidas entre os 15 e os 64 anos) tinha sido 67,8% no terceiro trimestre de 2017.

Na zona euro, a taxa de emprego subiu dos 66,5% observados no terceiro trimestre de 2017 para os 67,4% de julho a setembro de 2018 (face aos 67,2% registados no trimestre anterior).

Os países da zona euro com maiores progressões (de 0,5 pontos percentuais ou mais) foram a Bélgica, Letónia, Holanda, Eslováquia e Lituânia, tendo a Itália registado a única queda (de 0,2 pontos percentuais, para 58,6%, após o aumento de 0,6 pontos percentuais no trimestre anterior).

Numa análise por grupos etários, verifica-se que a evolução trimestral do emprego na OCDE foi positiva em 0,2 pontos percentuais nos trabalhadores entre os 55 e os 64 anos (para 61,5%) e em 0,1 pontos percentuais nos trabalhadores entre os 25 e os 54 anos (para 78,5%), mas foi negativa nos jovens (dos 15 aos 24 anos), cuja taxa de emprego diminuiu de 41,9% no segundo trimestre de 2018 para 41,8% no terceiro trimestre.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
avião da TAP em Faro

TAP. Azul cede e nacionalização evitada durante a madrugada

tap lay-off

Plano para salvar a TAP sem nacionalizar custava mais que 4 meses de lay-off

Fotografia: D.R.

Supers voltam a reajustar horários das lojas na Grande Lisboa

Emprego cresceu 0,4 pontos percentuais em Portugal no 3º trimestre de 2018