Emprego

Emprego. Apenas quatro países cresceram menos do que Portugal

Fotografia: Adelino Meireles/Global Imagens
Fotografia: Adelino Meireles/Global Imagens

Em termos homólogos, o emprego em Portugal aumentou 0,8% no segundo trimestre. Na União Europeia, só na França, Finlândia, Roménia cresceu menos.

O emprego em Portugal subiu no segundo trimestre 0,8% em termos homólogos, de acordo com os dados publicados esta terça-feira pelo Eurostat.

De acordo com a análise do Dinheiro Vivo aos números divulgados pelo organismo de estatísticas europeu, esta foi a quarta taxa de crescimento mais baixa entre todos os países da União Europeia (UE).

Pior só na França (0,7%), Finlândia (0,5%), Roménia (0,2%) e na Croácia, que até registou uma taxa negativa de 0,4%. Isto, em termos homólogos.

A taxa portuguesa, que ficou abaixo da média verificada quer na UE (1,5%), quer na zona euro (1,4%), evidencia ainda uma desaceleração relativamente à evolução homóloga registada nos dois trimestres anteriores. No primeiro trimestre do ano tinha sido de 1,1% e no último de 2015 de 1,8%.

A tabela é liderada por três países com uma taxa de crescimento homólogo de 2,9%: Irlanda, Luxemburgo e Malta.

A Espanha e a Hungria surgem em quarto lugar com uma taxa de 2,7%, seguindo-se o Chipre com 2,5% e a Lituânia com 2,4%. Na Grécia, o emprego subiu 1,3% e na Alemanha 1,2%.

Na análise da evolução do emprego face ao primeiro trimestre do ano, os dados do Eurostat indicam que Portugal (0,6%) foi o décimo país da UE em que a taxa mais aumentou.

Numa lista liderada pela Estónia (1,7%), Irlanda (1,1%) e Lituânia (1%), Portugal conseguiu alcançar um resultado melhor do que países como a Espanha, Reino Unido, Dinamarca (0,5%) e da Alemanha (0,3%).

A taxa de crescimento portuguesa ficou ainda acima da média da zona euro (0,4%) e da UE (0,3%), e representa uma melhoria em relação ao primeiro trimestre, período em que não se registou nenhum aumento, mas ligeiramente inferior ao verificado no último trimestre do ano passado (0,7%).

Os últimos lugares da tabela são ocupados pela Finlândia (0%), França, Letónia, Bélgica e Áustria (0,2%).

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O primeiro-ministro, António Costa (E), conversa com o ministro de Estado e das Finanças, Mário Centeno (D), durante o debate parlamentar de discussão na generalidade do Orçamento do Estado para 2020 (OE2020), esta tarde na Assembleia da República, em Lisboa, 09 de janeiro de 2020. MIGUEL A. LOPES/LUSA

Subida do PIB em 2019 chega aos 2,2% com revisão nas exportações de serviços

Fotografia: TIAGO PETINGA/LUSA

Novo Banco prevê redução de 1,7 mil milhões de malparado em 2020

Sede do Novo Banco, ex-BES, na Avenida da Liberdade.
(Ângelo Lucasl / Global Imagens )

Novo Banco não afasta que possa vir a pedir mais capital ao Fundo de Resolução

Emprego. Apenas quatro países cresceram menos do que Portugal