Empresário chinês que denunciou leite adulterado morre por espancamento

O empresário chinês Jiang Weisuo, que em 2006 denunciou os primeiros casos de leite adulterado na China, foi morto por espancamento no passado dia 2 de novembro, segundo o diário South China Morning Post, citado pelo Expansión.

Os motivos para o espancamento do empresário de 44 anos são ainda desconhecidos mas os responsáveis do governo local da província de Shaanxi já garantiram que detiveram um suspeito de ter efetuado a agressão, que levou Weisuo a morrer dois depois do incidente.

Em 2006, Jiang Weisuo, dono de uma fábrica de lacticínios em Shaanxi, denunciou publicamente as práticas desleais dos seus rivais, que lhes permitiram obter maiores ganhos, tais como a adição de antibióticos e outras substâncias ao leite e o uso de máquinas de lavar para proceder à operação.

O empresário foi na altura elogiado pela comunicação social por ter sido o primeiro a denunciar as más práticas no setor dos lacticínios.

Este caso foi seguido por um outro, em 2008, em que se descobriu que várias marcas de renome chinesas estavam a utilizar melamina tóxica no leite para bebés, o que causou problemas de saúde a 600 mil crianças e a morte de seis.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Fotografia: Gerardo Santos/Global Imagens

Economia portuguesa afunda 16,3% entre abril e junho

Visitantes na Festa do Avante.

Avante!: PCP reduz lotação a um terço, só vão entrar até 33 mil pessoas por dia

covid 19 portugal casos coronavirus DGS

Mais 235 infetados e duas mortes por covid-19 em Portugal. Números baixam

Empresário chinês que denunciou leite adulterado morre por espancamento