Economia

Endividamento da economia agrava-se em maio

19.07.2018 / 12:18

Em maio, o endividamento do setor não financeiro foi de mais de 724 mil milhões de euros, pressionado sobretudo pelos privados

O endividamento da economia portuguesa agravou-se em maio para o valor mais alto em mais de dez anos. As estatísticas do Banco de Portugal, publicadas esta quinta-feira, 19 de julho, mostram que o endividamento do setor não financeiro foi de 724,7 mil milhões de euros, sendo que, 322,4 mil milhões de euros dizem respeito ao endividamento do setor público. O endividamento do setor privado ascendeu a 402,3 mil milhões de euros.

Este valor relativo ao endividamento do setor não financeiro é o mais elevado desde dezembro de 2007, de acordo com as estatísticas da autoridade monetária nacional, liderada por Carlos Costa.

Face ao mês anterior, o endividamento da economia (administração pública, famílias e empresas) aumentou 1,0 mil milhões de euros “em resultado do incremento de 0,3 mil milhões de euros no endividamento do setor público e de 0,7 mil milhões de euros no endividamento do setor privado”.

O Banco de Portugal explica ainda que “o aumento do endividamento do setor público traduziu-se num acréscimo do endividamento face ao setor financeiro, que foi parcialmente compensado pela diminuição do financiamento obtido junto do setor não residente”.

“No setor privado observou-se um aumento do endividamento externo das empresas em 0,5 mil milhões de euros. Os particulares registaram um incremento do endividamento face ao setor financeiro de 0,2 mil milhões de euros”, nota ainda a autoridade monetária.