Comércio online

eNeNe. Nova loja online quer pôr Portugal a vender mais

Carlos Sereno é o  criador do projeto Novos Navegadores (Diana Quintela/ Global Imagens)
Carlos Sereno é o criador do projeto Novos Navegadores (Diana Quintela/ Global Imagens)

De uma loja em Paris que reúne mais de 80 marcas portuguesas de luxo, a eNeNe evolui agora para o e-commerce à escala global.

Começou por ser a primeira loja com ADN 100% português em Marais, o bairro mais trendy de Paris, mas os novos navegadores Carlos Sereno e Luís Filipe Neto vão lançar-se agora por mares nunca antes navegados numa aventura (física e digital) à escala global. De um showroom de 150 m2 que reúne as principais marcas nacionais de luxo, premium luxo e moda, e apenas quatro meses após a abertura da phygital concept store de criadores portugueses na capital francesa, a eNeNe – Nouveaux Navigateurs transforma-se agora numa plataforma de comércio eletrónico (www.enene.pt).

A data para o lançamento é simbólica: 10 de junho, Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas. O objetivo está traçado desde o primeiro minuto: ser uma montra a nível mundial para afirmar a imagem de Portugal como país vendedor, em vez de ser apenas produtor.

Tal como o espaço físico, a plataforma reúne mais de 80 marcas portuguesas em áreas como a tecnologia, música, criadores de moda portugueses, marcas gourmet, joalharia e multimarcas. Mas Carlos Sereno garante que podem ser mais, muitas mais. Recentemente, o empresário lusodescendente esteve em Portugal para uma série de encontros com fornecedores para dar a conhecer o conceito e angariar mais representantes do que de melhor se faz por cá. “Não há limite para o número de marcas que podem marcar presença na plataforma. Queremos os grandes e os pequenos, a porta está aberta a todos”, explicou. As louças da Vista Alegre e as peças de criadores portugueses de moda, como Luís Buchinho, Anabela Baldaque, StoryTailors e Luís Carvalho, são apenas alguns exemplos. Mas há também garrafas de azeite, peças de alta joalharia, livros e gadgets, como impressoras 3D.

O alvo, garante, não é o típico mercado da saudade, nem os emigrantes com saudades dos produtos da “terrinha”, mas sim mais de 32 milhões de pessoas que anualmente passam pelo bairro de Marais, a que se somam os potenciais clientes de todo o mundo que visitem a loja online. “Já somos considerados como uma marca-embaixada. Queremos contar a história do Portugal de 2018 através das melhores marcas e produtos. Portugal está na moda e nós vamos ser uma montra exclusiva da produção nacional em Paris e no mundo, com a nova plataforma”, disse Carlos Sereno ao Dinheiro Vivo.

Quanto a novas lojas, e com Londres e Nova Iorque fora de causa para já (por causa do brexit e de Donald Trump), a eNeNe está de olho em Xangai, Pequim e Macau. “Gostávamos de estar em todos os continentes.”

Carlos Sereno não revela números de investimento e vendas, mas garante que os objetivos iniciais já foram alcançados e que a “plena velocidade” do negócio só será atingida no final do ano. Em funcionamento está já a aplicação eNeNe Customer Basket, desenvolvida especialmente para a loja e para a plataforma, através da qual os clientes poderão digitalizar os QR codes de cada produto, fazer as encomendas, finalizar a compra, com acesso a programas de fidelização e entregas gratuitas.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

O ministro das Finanças, Mário Centeno (C), acompanhado pelos secretários de Estado, da Administração e do Emprego Público, Maria de Fátima Fonseca (E), dos Assuntos Fiscais, António Mendonça Mendes (2-E), do Orçamento, João Leão (2-D), e do Tesouro, Álvaro Novo (D), fala durante conferência de imprensa sobre a proposta do Orçamento do Estado para 2019 (OE2019), realizada no Salão Nobre do Ministério das Finanças, em Lisboa, 16 de outubro de 2018. Na proposta de OE2019, o Governo estima um crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 2,2% no próximo ano, uma taxa de desemprego de 6,3% e uma redução da dívida pública para 118,5% do PIB. No documento, o executivo mantém a estimativa de défice orçamental de 0,2% do PIB no próximo ano e de 0,7% do PIB este ano. RODRIGO ANTUNES/LUSA

Conheça as principais medidas do Orçamento do Estado para 2019

O ministro das Finanças, Mário Centeno (C), acompanhado pelos secretários de Estado, dos Assuntos Fiscais, António Mendonça Mendes (E), do Orçamento, João Leão (2-D), e o Adjunto e das Finanças, Ricardo Mourinho Félix (D), fala durante conferência de imprensa sobre a proposta do Orçamento do Estado para 2019 (OE2019), realizada no Salão Nobre do Ministério das Finanças, em Lisboa, 16 de outubro de 2018. Na proposta de OE2019, o Governo estima um crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 2,2% no próximo ano, uma taxa de desemprego de 6,3% e uma redução da dívida pública para 118,5% do PIB. No documento, o executivo mantém a estimativa de défice orçamental de 0,2% do PIB no próximo ano e de 0,7% do PIB este ano. RODRIGO ANTUNES/LUSA

Dos partidos aos sindicatos, passando pelo PR, as reações ao OE 2019

Outros conteúdos GMG
eNeNe. Nova loja online quer pôr Portugal a vender mais