OCDE

Energia e alimentação fazem subir preços na OCDE até aos 2,8% em junho

Fotografia: Direitos Reservados
Fotografia: Direitos Reservados

A taxa de inflação homóloga no conjunto dos países da OCDE fixou-se nos 2,8% em junho.

A taxa de inflação homóloga no conjunto dos países da OCDE fixou-se nos 2,8% em junho, mais duas décimas que em maio devido à subida dos preços da energia e da alimentação.

A subida do preço da energia foi de 10,4% entre junho de 2017 e o mesmo mês de 2018, um valor que compara com os 9,1% registados nos 12 meses até maio, sinalizou a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) em comunicado.

A subida dos alimentos, por sua vez, encareceu quatro décimas para os 1,8%, contra os 1,4% em maio.

Segundo a OCDE, excluindo as variáveis de alimentação e energia, considerados os dois elementos mais voláteis, a inflação manteve-se estável nos 2%.

A inflação manteve-se estável em França (2%), no Japão (0,7%) e no Reino Unido (2,3%) e desceu uma décima na Alemanha, até aos 2,1%.

No conjunto da zona euro, a subida foi de uma décima para os 2% ainda que, retirando a alimentação e a energia, a inflação tenha caído duas décimas até aos 0,9%.

Em Portugal, a inflação homóloga harmonizada situou-se nos 2%.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Mário Vaz, CEO da Vodafone Portugal  Fotografia: Orlando Almeida / Global Imagens

Mário Vaz. “Havendo frequências, em julho teríamos cidades 5G”

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa (C), durante a cerimónia militar do Instituto Pupilos do Exército (IPE), inserido nas comemorações do 108.º aniversário da instituição, em Lisboa, 23 de maio de 2019.  ANTÓNIO PEDRO SANTOS/LUSA

Marcelo: “Quem não for votar, depois não venha dizer que se arrepende”

Certificados

Famílias investiram uma média de 3,3 milhões por dia em certificados este ano

Outros conteúdos GMG
Energia e alimentação fazem subir preços na OCDE até aos 2,8% em junho