Pedrógão Grande

ERC vai averiguar reportagem da TVI em Pedrógão Grande

Fotografia: direitos reservados
Fotografia: direitos reservados

A ERC recebeu "mais de 100 participações que contestam o plano televisivo em que aparece um dos cadáveres da tragédia".

A Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) fez saber esta tarde que vai averiguar a reportagem transmitida ontem no Jornal Nacional da TVI, sobre os incêndios em Pedrógão Grande. Em causa está a reportagem em que Judite de Sousa, diretora-adjunta de informação da estação, é filmada junto ao corpo de uma das vítimas da tragédia que vitimou pelo menos 63 pessoas e feriu outras 135.

Em comunicado, o Conselho Regulador da ERC diz ter decidido, “esta manhã, abrir um procedimento de averiguações a uma reportagem emitida na edição de ontem do Jornal Nacional da TVI, sobre os incêndios em Pedrógão Grande.” Na origem das averiguações estão as “mais de 100 participações que contestam o plano televisivo em que aparece um dos cadáveres da tragédia” e que desde então chegaram à ERC.

“A ERC, consciente do estado de choque em que o país se encontra, sintoniza-se com a sociedade portuguesa e espera que a comunicação social seja de uma sensibilidade profissional a toda a prova, neste momento de luto nacional”, pode ler-se na mesma nota.

O Sindicato de Jornalistas já tinha emitido esta tarde um comunicado em que aconselhava uma “cobertura noticiosa sóbria e rigorosa” dos incêndios. Na nota hoje divulgada, o sindicato apelou aos jornalistas “para que não cedam ao sensacionalismo” e recordou os pontos 7.º e 9.º do Código Deontológico dos Jornalistas, “nomeadamente no que diz respeito à necessidade de ‘atender às condições de serenidade, liberdade e responsabilidade das pessoas envolvidas’ nos acontecimentos que relatam e de ‘[não] perturbar a sua dor'”.

Na reportagem ontem transmitida, que valeu a Judite de Sousa fortes críticas nas redes sociais, a jornalista aparecia junto a um corpo coberto por um lençol branco, num perímetro de segurança delineado pelas autoridades. Confrontada pela N-TV sobre as críticas de que está a ser alvo, a jornalista recusou comentar, tendo dito apenas “no comments”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Cristina Casalinho, presidente do IGCP. Fotografia: Diana Quintela / Global Imagens

Portugal vai fazer primeira emissão de dívida na China

Fotografia: Nacho Doce/Reuters

China Mobile interessada na brasileira Oi

Vieira da Silva
Fotografia: Bruno Simões Castanheira

“Não há uma posição fechada” sobre aumento extra das pensões

Outros conteúdos GMG
Conteúdo Patrocinado
ERC vai averiguar reportagem da TVI em Pedrógão Grande