Espanha

Espanha: Governo anuncia aumento do salário mínimo para 900 euros

Pedro Sánchez, presidente do governo de Espanha. EPA/SERGIO BARRENECHEA
Pedro Sánchez, presidente do governo de Espanha. EPA/SERGIO BARRENECHEA

O Conselho de Ministros espanhol vai aprovar esta medida numa reunião que vai ter em Barcelona em 21 de dezembro próximo.

O primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, anunciou hoje em Madrid a subida em 2019 do salário mínimo para 900 euros, porque “um país rico não pode ter trabalhadores pobres”.

Num discurso no parlamento espanhol, Pedro Sánchez sublinhou que a subida será de 22%, a maior desde 1977, e justificou a medida com uma “explicação clara: um país rico não pode ter trabalhadores pobres”.

O Conselho de Ministros espanhol vai aprovar esta medida numa reunião que vai ter em Barcelona em 21 de dezembro próximo.

A subida do salário mínimo obrigatório é fixada habitualmente num dos últimos conselhos de ministros de cada ano, depois de consultados os parceiros sociais.

O aumento dos atuais 735,9 euros para 900 euros faz parte de um acordo que o Governo socialista espanhol assinou no início de outubro com o Podemos (extrema-esquerda) sobre o projeto de Orçamento para 2019.

Madrid avança com a medida através da aprovação de um decreto-lei e sem esperar pela discussão do projeto de lei do Orçamento para 2019 previsto para janeiro próximo e onde há muitas dúvidas sobre se conseguirá ter a maioria necessária para que a medida entre em vigor.

Pedro Sánchez tornou-se primeiro-ministro em 02 de junho de 2018, depois de o PSOE — com apenas 84 deputados num total de 350 – ter conseguido aprovar no parlamento, na véspera, uma moção de censura contra o executivo do Partido Popular (direita) com o apoio do Unidos Podemos (coligação de extrema-esquerda) e uma série de partidos mais pequenos, entre eles os nacionalistas bascos e os independentistas catalães.

Os partidos independentistas catalães anunciaram que não irão apoiar as contas do Estado para 2019 e se mantiverem essa decisão retiram aos socialistas a possibilidade de reunir a maioria absoluta necessária à sua aprovação.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(Artur Machado / Global Imagens)

Dinheiro Vivo mantém-se líder digital dos económicos

A presidente da Fundação Calouste Gulbenkian, Isabel Mota, conversa com o presidente e CEO da PTT Exploration and Production (PTTEP), Phongsthorn Thavisin durante a conferência de imprensa de anúncio da venda da Partex à empresa tailandesa, na sede da fundação em Lisboa
TIAGO PETINGA/LUSA

Gulbenkian vende negócio do petróleo e gás. Onde vai investir agora?

Fotografia: D.R.

Deficiência. Peritos aconselham troca de benefícios fiscais por outros apoios

Outros conteúdos GMG
Espanha: Governo anuncia aumento do salário mínimo para 900 euros