Energia

Espanha destrona Portugal no solar. Iberdrola vai construir central com 600 MW

Ignacio Galán, presidente da Iberdrola. Fotografia
Ignacio Galán, presidente da Iberdrola. Fotografia

A elétrica espanhola prevê investir 300 milhões na nova central com 590 MW de potência.

De acordo com o jornal El País, a Iberdrola pediu recentemente permissão ao ministério espanhol da Transição Ecológica para instalar na província de Cáceres aquela que virá a ser a maior central solar fotovoltaica da Europa, com 590 MW de potência instalada e um investimento de 300 milhões de euros. Este projeto foi revelado apenas três meses depois da inauguração na província de Badajoz de uma central com 500 MW de potência.

Antes disso, o recorde pertencia a Portugal, primeiro com a central da Amareleja (46 MW) e mais recentemente com a central Ourika, em Ourique, também com 46 MW, a maior a entrar em produção em regime de mercado e a injetar energia para a rede na Península Ibérica em 2018. Para Portugal está também prevista a inauguração da central Solara4, em Alcoutim, ainda em 2019, com 220 MW de potência instalada, uma ligação à rede a 400 kVA e um investimento de 200 milhões de euros.

O secretário de Estado da Energia, João Galamba, garante que o governo tem sido contactado por vários grupos energéticos internacionais para construir em, Portugal projetos iguais ou superiores a 500 MW, à semelhança dos que estão a nascer em Espanha.

No entanto, explicou Galamba, esses promotores não poderão participar nos leilões de energia solar agendados já para a primeira quinzena de julho, precisamente pela sua dimensão demasiado grande (no leilão estarão disponíveis pontos de acesso à rede até 200 MW, esclareceu). Para os mega projetos, os interessados terão de contactar diretamente a DGEG e eventualmente planear uma extensão da rede de transporte e distribuição de energia, que fique a cargo do promotor.

Do lado de lá da fronteira, noticia o El País, a nova central fotovoltaica da Iberdrola ocupará uma superfície de 1300 hectares perto de Trujillo, local de nascimento de Francisco Pizarro, o explorador espanhol que ficou conhecido como “o conquistador do Peru” e que deu nome ao projeto da elétrica espanhola na província de Cáceres. A previsão é que entre em funcionamento em 2022. Até lá, mais de 1000 pessoas vão estar a trabalhar na construção da mega central.

Com este projeto a Iberdrola aumentará para mais de 2.000 os MW renováveis que a empresa tem em construção ou em aprovação em Espanha e representa 70% da capacidade prevista no plano estratégico até 2022. A empresa prevê investir 8000 milhões de euros entre 2018 e 2022 em energias limpas e pôr em marcha mais 10.000MW até 2030.

Ignacio Sánchez Galán, presidente da Iberdrola, anunciou que a empresa construirá na região da Extremadura um total de oito centrais fotovoltaicas e eólicas, duas delas perto da central nuclear de Almaraz, cujo encerramento está previsto para 2028.

Diz a Iberdrola que a empresa está em primeiro lugar na produção de energia eólica em Espanha, com uma potência instalada de 5.770 MW, enquanto a sua capacidade renovável instalada total chega aos 15.790 MW. No mundo são 30.000 MW.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
GSFJ2392

“A sustentabilidade dos media depende de todos nós”

Alexandre Fonseca - CEO da Altice Portugal

Fotografia: Gerardo Santos

Alexandre Fonseca sobre 5G: “Portugal hoje posiciona-se na cauda da Europa”

Sebastião Lancastre, Easypay

Easypay. “Para sermos relevantes para os clientes temos de ouvi-los”

Outros conteúdos GMG
Espanha destrona Portugal no solar. Iberdrola vai construir central com 600 MW