Energia

Espanha destrona Portugal no solar. Iberdrola vai construir central com 600 MW

Ignacio Galán, presidente da Iberdrola
Ignacio Galán, presidente da Iberdrola

A elétrica espanhola prevê investir 300 milhões na nova central com 590 MW de potência.

De acordo com o jornal El País, a Iberdrola pediu recentemente permissão ao ministério espanhol da Transição Ecológica para instalar na província de Cáceres aquela que virá a ser a maior central solar fotovoltaica da Europa, com 590 MW de potência instalada e um investimento de 300 milhões de euros. Este projeto foi revelado apenas três meses depois da inauguração na província de Badajoz de uma central com 500 MW de potência.

Antes disso, o recorde pertencia a Portugal, primeiro com a central da Amareleja (46 MW) e mais recentemente com a central Ourika, em Ourique, também com 46 MW, a maior a entrar em produção em regime de mercado e a injetar energia para a rede na Península Ibérica em 2018. Para Portugal está também prevista a inauguração da central Solara4, em Alcoutim, ainda em 2019, com 220 MW de potência instalada, uma ligação à rede a 400 kVA e um investimento de 200 milhões de euros.

O secretário de Estado da Energia, João Galamba, garante que o governo tem sido contactado por vários grupos energéticos internacionais para construir em, Portugal projetos iguais ou superiores a 500 MW, à semelhança dos que estão a nascer em Espanha.

No entanto, explicou Galamba, esses promotores não poderão participar nos leilões de energia solar agendados já para a primeira quinzena de julho, precisamente pela sua dimensão demasiado grande (no leilão estarão disponíveis pontos de acesso à rede até 200 MW, esclareceu). Para os mega projetos, os interessados terão de contactar diretamente a DGEG e eventualmente planear uma extensão da rede de transporte e distribuição de energia, que fique a cargo do promotor.

Do lado de lá da fronteira, noticia o El País, a nova central fotovoltaica da Iberdrola ocupará uma superfície de 1300 hectares perto de Trujillo, local de nascimento de Francisco Pizarro, o explorador espanhol que ficou conhecido como “o conquistador do Peru” e que deu nome ao projeto da elétrica espanhola na província de Cáceres. A previsão é que entre em funcionamento em 2022. Até lá, mais de 1000 pessoas vão estar a trabalhar na construção da mega central.

Com este projeto a Iberdrola aumentará para mais de 2.000 os MW renováveis que a empresa tem em construção ou em aprovação em Espanha e representa 70% da capacidade prevista no plano estratégico até 2022. A empresa prevê investir 8000 milhões de euros entre 2018 e 2022 em energias limpas e pôr em marcha mais 10.000MW até 2030.

Ignacio Sánchez Galán, presidente da Iberdrola, anunciou que a empresa construirá na região da Extremadura um total de oito centrais fotovoltaicas e eólicas, duas delas perto da central nuclear de Almaraz, cujo encerramento está previsto para 2028.

Diz a Iberdrola que a empresa está em primeiro lugar na produção de energia eólica em Espanha, com uma potência instalada de 5.770 MW, enquanto a sua capacidade renovável instalada total chega aos 15.790 MW. No mundo são 30.000 MW.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

( Álvaro Isidoro / Global Imagens )

Greve ao sábado preocupa petrolíferas mas não são esperadas ruturas

TIAGO PETINGA/LUSA

Sindicato faz greve “cirúrgica” às horas extra entre 7 e 22 de setembro

Outros conteúdos GMG
Espanha destrona Portugal no solar. Iberdrola vai construir central com 600 MW