Energia

Esta é a oferta de luz e gás mais barata para as famílias

Foto: DR
Foto: DR

Segundo a análise da ERSE relativa ao último trimestre de 2018, a diferença entre a oferta mais cara e a mais barata é de 264 euros por ano.

As contas são da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) e têm como objetivo facilitar a vida aos consumidores, que desde a liberalização do mercado têm à disposição dezenas de ofertas de luz e gás, e a possibilidade de mudar quando quiserem.

Na análise de dezembro, o regulador da energia concluiu que para um casal com dois filhos, a oferta tarifária da Galp que junta gás e eletricidade e uma contagem bi-horária é a opção mais acessível do mercado, com uma fatura anual que ronda os 1033 euros.

No extremo oposto, segundo o boletim publicado esta terça-feira, está uma das propostas da Audax, que no final do ano dá origem a uma fatura de 1297 euros, mais 20% face à oferta mais barata do mercado, ou o equivalente a 264 euros por ano.

Para as famílias com dois filhos, há atualmente disponíveis no mercado 172 ofertas comerciais. Destas, 109 só contemplam o fornecimento de eletricidade e 63 são duais, ou seja, incluem eletricidade e gás natural.

Se a mesma família preferir contratar apenas um serviço de eletricidade, a proposta mais acessível também pertence à Galp. O custo é de 844 euros por ano. Por sua vez a oferta tarifária mais cara pertence à Muon, que propõe um plano mensal que por ano custa 1071 euros, mais 21%, ou 244 euros, do que o mais acessível.

A ERSE também analisou as ofertas para os casais sem filhos e aqui existem 170 ofertas comerciais, das quais 107 são exclusivas para o fornecimento de eletricidade e 63 contemplam também o gás. Aqui, o serviço de fornecimento único de eletricidade com a menor fatura é o da GoldEnergy. São 325 euros por ano, menos 102 euros do que a proposta mais cara, da Muon.

Para o mesmo tipo de famílias, mas que prefiram contratar luz e gás ao mesmo tempo, a melhor oferta também é da GoldEnergy e custa cerca de 430 euros por ano. A mais dispendiosa é da Audax, cuja fatura chega aos 569 euros.

Os preços e comparações, alerta a ERSE, “resultam da componente da fatura anual relativa ao fornecimento de gás natural, sem impostos e taxas, sendo a análise efetuada em preços reais”. O estudo não considera as ofertas que incluem serviços adicionais como assistência técnica diagnósticos energéticos.

Segundo o regulador, “o número de ofertas comerciais tem vindo a aumentar, registando-se no 4º trimestre de 2018 um valor máximo de ofertas comerciais mono eletricidade (107 ofertas) e duais (63 ofertas)”.

Notícia corrigida às 13h18 a pedido da ERSE. Por lapso, o regulador enviou uma versão desatualizada dos Boletins de Ofertas Comerciais na Eletricidade e no Gás Natural. Foram corrigidos os números relativos às ofertas disponíveis no mercado e a informação relativa ao serviço de eletricidade (mono) mais barato para famílias com dois filhos.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O presidente do Conselho Geral e de Supervisão da ADSE, João Proença, durante a sua audição na Comissão de Saúde, na Assembleia da República, em Lisboa, 27 de fevereiro de 2019. MÁRIO CRUZ/LUSA

ADSE já enviou novas tabelas de preços aos privados para negociação

Mario Draghi, Presidente do Banco Central Europeu. REUTERS/Kai Pfaffenbach

BCE discutiu pacote de medidas para estimular economia na reunião de julho

Hotéis de Lisboa esgotaram

“Grandes” eventos impulsionaram aumento dos preços na hotelaria em junho

Outros conteúdos GMG
Esta é a oferta de luz e gás mais barata para as famílias