Resultados

Estacionamento rendeu ao mercado ibérico mais de mil milhões em 2017

Foto: Globalimagens
Foto: Globalimagens

O setor do estacionamento em Portugal e Espanha faturou 1.145 milhões o ano passado, mais 3,8% face ao período homólogo, avança a Informa D&B.

O setor do estacionamento em Portugal e Espanha registou uma faturação de 1.145 milhões de euros em 2017, mais 3,8% face ao período homólogo, com Espanha a representar 89% do mercado ibérico, refere a Informa D&B.

“A faturação no setor do estacionamento em Espanha e Portugal em 2017 ascendeu a 1.145 milhões de euros, mais 3,8% face a 2016”, adiantou, em comunicado hoje divulgado, a consultora.

De acordo com o estudo “Estacionamentos (Mercado Ibérico)”, no período em causa, o mercado espanhol representava 89% do total ibérico, avançando 3% para 1.020 milhões de euros, enquanto o mercado português subiu 10,6% para 125 milhões de euros.

Por sua vez, no que se refere ao aluguer de estacionamentos em estrutura foram gerados, no mercado ibérico, 811 milhões de euros, um avanço de 4,4% face a 2016.

No mesmo período, a gestão de lugares de estacionamento regulado à superfície cresceu 2,5% para 334 milhões.

O mercado ibérico de gestão de lugares de estacionamento estava composto, no período de referência, por cerca de 1.070 empresas e grupos de empresas, das quais 820 em Espanha e 250 em Portugal.

No conjunto, estas exploravam um total de 1.815.000 lugares de estacionamento, dos quais 1.510.000 em Espanha e 305.000 em Portugal.

Segundo a Informa D&B, para 2018 prevê-se que o volume de negócios agregado dos operadores dedicados à atividade atinja 1.185 milhões de euros, mais 3,5% face ao ano anterior.

Para a realização do estudo em causa, a consultora analisou 37 empresas espanholas e 11 portuguesas.

Em Portugal, foram analisadas a E.S.S.E., o El Corte Inglés, a EMEL, o grupo Bragaparques, o grupo Empark, o grupo Mundicenter, o grupo SabaPortugal, o grupo Sonae Sierra, a Parques Tejo, a Placegar e a Sient.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O presidente do Novo Banco, António Ramalho, discursa na cerimónia de lançamento do Projeto de Divulgação Cultural do Novo Banco. Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Banca custou ao Estado mais 1,5 mil milhões de euros em 2019, agora ajude

coronavirus portugal antonio costa

Proibidos ajuntamentos com mais de cinco pessoas. Aeroportos encerrados

O primeiro-ministro, António Costa, fala aos jornalistas no final da reunião do Conselho de Ministros após a Assembleia da República ter aprovado o decreto do Presidente da República que prolonga o estado de emergência até ao final do dia 17 de abril para combater a pandemia da covid-19, no Palácio da Ajuda, em Lisboa, 2 de abril de 2020. 
 MÁRIO CRUZ/POOL/LUSA

Mapa de férias pode ser aprovado e afixado mais tarde do que o habitual

Estacionamento rendeu ao mercado ibérico mais de mil milhões em 2017