Estado deu avanço na carreira a 71 500 funcionários neste ano

Sindicatos receiam travagem com chumbo do Orçamento do Estado para 2022

Um em cada dez funcionários públicos obteve neste ano um avanço na carreira, seja por via de progressões ou promoções, com um conjunto de cerca de 71 500 trabalhadores do setor público a concluir progressões em virtude do tempo de serviço ou a ser promovido através dos concursos das carreiras especiais.

O número foi avançado pelo Ministério da Modernização do Estado e da Administração Pública, em resposta ao Dinheiro Vivo, perante receios dos sindicatos de que o avanço nas carreiras paralise no atual contexto político, sem Orçamento aprovado e com eleições no final de janeiro.

"No conjunto da Administração central, regional e local, cerca de 71 500 trabalhadores foram abrangidos em 2021 no conjunto de promoções e progressões", refere a resposta do ministério. O número, diz, inclui as progressões obrigatórias no quadro do SIADAP, sistema de avaliação que exige aos trabalhadores que acumulem dez pontos para saltarem uma posição remuneratória, e outros sistemas de progressão, "como é o caso das carreiras cuja progressão obrigatória se baseia fundamentalmente no tempo de serviço, que ainda beneficiam da recuperação de tempo advinda do descongelamento". O número divulgado representa 10% do total de trabalhadores contabilizados nas administrações públicas no terceiro trimestre (724 675).

O ministério irá hoje reunir-se novamente com os sindicatos da função pública, em encontro negocial suplementar do qual a Fesap disse esperar dados que assegurem que não há travagem nas e promoções e progressões no Estado, apesar do chumbo do Orçamento para 2022. Neste, o Governo previa gastar 251 milhões de euros em progressões e promoções no próximo ano, mais do que os 231 milhões previstos em 2021.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de