funcionários públicos

Estado fechou o ano com mais 14 mil funcionários

Ministério das Finanças
Ministério das Finanças

O número de funcionários públicos voltou a aumentar em 2018, com um crescimento de 2,1% face ao ano anterior.

No final de dezembro de 2018, existiam 683 469 trabalhadores do Estado, o que representa um aumento de 2,1% face a 2017. É preciso recuar a 31 de dezembro de 2012 para encontrar um valor mais elevado, quando estavam na função pública mais de 699 mil pessoas.

Os dados foram divulgados esta sexta-feira na Síntese Estatística do Emprego Público, da Direção-Geral da Administração e do Emprego Público (DGAEP) e revelam o maior aumento homólogo da série.

O crescimento ficou a dever-se ao aumento do número de trabalhadores na administração central, em concreto nos Ministérios da Educação e da Ciência, justificado pelo início do ano letivo e com o “processo de colocação de docentes em todos os níveis de ensino e de técnicos superiores para atividade de enriquecimento curricular (AEC) nos estabelecimentos de ensino básico e secundário”, refere a síntese do emprego público.

No sentido contrário, registou-se uma diminuição no Ministério da Administração Interna devido à saída de vigilantes da floresta na GNR “contratados no segundo trimestre para as operações de prevenção de incêndios durante o verão.”

Autarquias integram mais precários

Além do aumento na administração central, no último trimestre de 2018, o setor local voltou a registar uma subida no número de funcionários. Neste caso, refere a DGAEP, deveu-se à integração de precários. “O aumento do emprego na administração local (2039) decorre, em particular, do acréscimo de emprego nos municípios (1 546 postos de trabalho), resultante essencialmente do aumento de postos de trabalho ocorrido nas carreiras de assistente operacional, assistente técnico e técnico superior, em consequência do processo de regularização extraordinária de vínculos precários”, adianta o documento.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(Artur Machado / Global Imagens)

Dinheiro Vivo mantém-se líder digital dos económicos

A presidente da Fundação Calouste Gulbenkian, Isabel Mota, conversa com o presidente e CEO da PTT Exploration and Production (PTTEP), Phongsthorn Thavisin durante a conferência de imprensa de anúncio da venda da Partex à empresa tailandesa, na sede da fundação em Lisboa
TIAGO PETINGA/LUSA

Gulbenkian vende negócio do petróleo e gás. Onde vai investir agora?

Fotografia: D.R.

Deficiência. Peritos aconselham troca de benefícios fiscais por outros apoios

Outros conteúdos GMG
Estado fechou o ano com mais 14 mil funcionários