Função Pública

Estado ganha 15.700 trabalhadores num ano

Ministerio das Financas.
©NUNO FOX
Ministerio das Financas. ©NUNO FOX

O número de funcionários públicos volta a ultrapassar a barreira dos 690 mil. Aumento recorde com integração dos precários.

No final do primeiro trimestre deste ano, o Estado tinha 690 079 trabalhadores, corresponde a mais 15 690 postos de trabalho face ao mesmo período do ano passado, de acordo com a síntese estatística do emprego público divulgado esta quarta-feira, dia 15 de maio.

“A 31 de março de 2019, o emprego no sector das administrações públicas situou-se em 690 079 postos de trabalho, continuando a tendência de variação homóloga positiva observada no ano de 2018, apresentando um aumento de 2,3% (mais 15 690 postos de trabalho), refletido no saldo líquido dos movimentos de entradas e saídas de trabalhadores das entidades do sector das administrações públicas, no primeiro trimestre de 2019”, lê-se no documento divulgado pela Direção-Geral da Administração e do Emprego Público (DGAEP).

De acordo com a DGAEP, foi na administração central que mais subiu, seguindo-se os municípios e em boa parte por causa da integração de trabalhadores precários. “Este aumento encontra-se repartido entre administração central (mais 7 345 postos de trabalho, dos quais 4 433 em estabelecimentos de saúde do tipo E.P.E.) e administração local (mais 7 229, dos quais 5 548 nos municípios) resultando, em grande parte, do aumento de postos de trabalho, em particular nas carreiras de assistente operacional, assistente técnico e técnico superior, em consequência do processo de regularização extraordinária de vínculos precários”, refere o relatório.

Comparando com o final de dezembro de 2011, ano em que chegou a troika, registou-se “uma quebra de 5,2%, correspondente à redução de 37.706 postos de trabalho, sendo a administração central o subsetor que revela a maior diminuição de trabalhadores: menos 30 093 postos de trabalho que traduzem, em termos percentuais, uma quebra de 5,5%.”

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Paulo Neto Leite, CEO da Groundforce.

Ministério Público acusa Groundforce de discriminação com prémios de 2017

Fotografia: Leonardo Negrão/Global Imagens

Leis laborais revistas quase sem desvios ao acordo de Concertação Social

Ursula von der Leyen foi o nome nomeado para presidir à Comissão Europeia. (REUTERS/Francois Lenoir)

Parlamento Europeu aprova Von der Leyen na presidência da Comissão

Outros conteúdos GMG
Estado ganha 15.700 trabalhadores num ano