Função Pública

Estado já começou a colocar precários nos quadros

O ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Vieira da Silva
Fotografia: TIAGO PETINGA/LUSA
O ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Vieira da Silva Fotografia: TIAGO PETINGA/LUSA

Concursos de verão traduziram-se na admissão de dezenas de candidatos. Ministérios do Trabalho, da Saúde e da Defesa destacam-se.

Tem sido um processo demorado, mas a regularização dos trabalhadores precários já está a produzir efeitos na administração central. Vários organismos já começaram a a colocar estes funcionários nos quadros, avança o Jornal de Negócios, esta segunda-feira.

Organismos como a Cinemateca Portuguesa, Secretaria-Geral da Presidência do Conselho de Ministros, Instituto da Segurança Social, Direção-Geral do Consumidor e Instituto de Gestão Financeira e Equipamentos de Justiça admitiram dezenas de candidatos, através de concursos de verão.

Uma pesquisa em Diário da República, levada a cabo pelo mesmo jornal, revela que o número de pessoas admitidas corresponde a uma pequena parte dos 32 mil requerimentos apresentados e das cerca de 2.500 vagas até agora abertas, lançadas em maior número nos Ministérios do Trabalho, Saúde e Defesa.

As candidaturas arrancaram em maio de 2017. O objetivo é que o processo esteja concluído até final deste ano. Os sindicatos têm-se mostrado céticos quanto ao prazo apresentado.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Fotografia: João Manuel Ribeiro/Global Imagens

Número de desempregados é o mais baixo dos últimos 28 anos

Fotografia: João Manuel Ribeiro/Global Imagens

Número de desempregados é o mais baixo dos últimos 28 anos

O antigo ministro das Finanças, Teixeira dos Santos ouvido na II Comissão Parlamentar de Inquérito à Recapitalização da Caixa Geral de Depósitos e à Gestão do Banco. Assembleia da República, Lisboa, 19 de junho de 2019. MIGUEL A. LOPES/LUSA

As razões de Teixeira dos Santos – e aquilo que nunca soube

Outros conteúdos GMG
Estado já começou a colocar precários nos quadros