Justiça

Estudante da Califórnia privada de ir ao WC indemnizada em 1,17 milhões

Alunos não podiam ir à casa de banho durante as aulas, mas eram convidados a usar um balde ao fundo da sala de aula.
Alunos não podiam ir à casa de banho durante as aulas, mas eram convidados a usar um balde ao fundo da sala de aula.

Uma estudante da Califórnia, nos EUA, vai receber uma indemnização de 1,25 milhões de dólares por ter sido impedida de ir à casa de banho.

Uma antiga estudante da Califórnia, nos Estados Unidos, vai receber uma indemnização de 1,25 milhões de dólares (1,17 milhões de euros) por ter sido obrigada a urinar num balde uma vez impedida de ir à casa de banho.

Um júri em San Diego decidiu, na quarta-feira, a favor da antiga estudante do liceu Patrick Henry, a qual intentou uma ação na justiça na sequência do incidente de 2012, exigindo inicialmente uma compensação de 25 mil dólares (23,4 mil euros).

Segundo a queixa apresentada, a adolescente, de 14 anos à data dos factos, não era autorizada a ir à casa de banho por uma professora durante as aulas por causa das estritas regras do estabelecimento de ensino.

A professora disse-lhe antes que urinasse num balde numa arrecadação na parte de trás da sala e que depois despejasse a urina na pia.

Esse episódio humilhante fez com que fosse alvo de más-línguas e de textos obscenos por parte dos colegas, o que a levou a tentar cometer suicídio, explicou durante o julgamento que durou três semanas.

“Lidei nos últimos 20 anos com casos de injúria e este foi um dos meus mais inusuais”, disse o advogado de defesa, Brian Watkins, à agência noticiosa francesa AFP, apontando que “algo deste género nunca deveria ter acontecido com uma menina de 14 anos acabada de entrar na escola secundária”.

Brian Watkins afirmou que a sua cliente – atualmente com 18 anos -, que continua a receber terapia, estava satisfeita com o veredicto.

“Acredito que foi feita justiça e penso que as autoridades escolares reconhecem isso”, disse, destacando que “eles já mudaram as suas políticas”, pelo que o desfecho “foi positivo para ambos os lados”.

Responsáveis da escola testemunharam durante o julgamento que a professora — que foi colocada em licença administrativa e nunca mais regressou ao ‘campus’ depois do incidente – não pretendia causar qualquer dano e que apenas pensou que tinha de cumprir as regras.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Facebook's founder and CEO Mark Zuckerberg reacts as he speaks at the Viva Tech start-up and technology summit in Paris, France, May 24, 2018. REUTERS/Charles Platiau - RC11ABE16B10

Abusos nos dados privados pode custar ao Facebook entre 3 a 5 mil milhões

Foto: Global Imagens

Jovens licenciados portugueses com maior probabilidade de terem salários baixos

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa,  intervem durante a sessão solene comemorativa dos 45 anos da Revolução de 25 de Abril na Assembleia da República em Lisboa, 25 de abril de 2019. ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Presidente da República pede “mais ambição” para resolver problemas

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Estudante da Califórnia privada de ir ao WC indemnizada em 1,17 milhões