EUA e Japão revelam imagens dos ataques a petroleiros no Golfo Pérsico

Os EUA acusaram o Irão de ser "responsável" pelos ataques contra os petroleiros, após anteriores incidentes com quatro navios.

Depois de, no mês passado, pelo menos quatro petroleiros terem sido danificados por minas navais na região do Golfo Pérsico, esta semana ficou marcada pelo ataque a mais dois navios que transportam petróleo no mar de Omã, fazendo os preços disparar 4% e ameaçando uma nova escalada das tensões diplomáticas na região.

Segundo relatos do comandante, a tripulação do petroleiro japonês Kokuka Courageous, que foi alvo de ataque na quinta-feira no mar de Omã, em pleno Golfo, disse ter visto "um objeto no ar" em direção ao navio.

"Os marinheiros dizem que o barco foi atingido por um objeto voador, eles viram com seus próprios olhos", reafirmou Yutaka Katada, CEO da empresa marítima Kokuka Sangyo, em conferência de imprensa em Tóqui, acrescentando ter recebido um relatório "de que algo tinha voado para o navio e que depois ocorreu uma explosão.

Veja mais aqui

Katada disse também que o navio, que transportava metanol, aparentemente sofreu dois ataques sucessivos. Após o primeiro, "os marinheiros manobraram para tentar fugir, mas o barco foi novamente alvejado três horas depois", detalhou.

Dois petroleiros, norueguês e japonês, foram alvo de um ataque no mar de Omã, em pleno Golfo, uma região já sob tensão devido à crise entre os Estados Unidos e o Irão.

O secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, acusou o Irão de ser "responsável" pelos ataques contra os petroleiros, após anteriores incidentes com quatro navios, incluindo três petroleiros, ao largo dos Emirados Árabes Unidos.

Por sua vez, o Governo iraniano acusou hoje Washington de "sabotagem diplomática", depois de os Estados Unidos terem acusado Teerão de ser responsável pelos ataques.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de