Petróleo

EUA pedem à ONU que pare de exportar petróleo para a Coreia do Norte

Presidente dos Estados Unidos da América, durante a Cimeira da NATO, em Bruxelas. 12 de julho de 2018. (REUTERS/Yves Herman
Presidente dos Estados Unidos da América, durante a Cimeira da NATO, em Bruxelas. 12 de julho de 2018. (REUTERS/Yves Herman

Os EUA citaram um relatório que indica que Pyongyang ultrapassou em 2018 as quotas de importações fixadas pelas sanções do final de 2017.

Os EUA pediram esta quinta-feira à ONU a interrupção das exportações de petróleo para a Coreia do Norte, e citam um relatório que indica que Pyongyang ultrapassou em 2018 as quotas de importações fixadas pelas sanções do final de 2017.

Este pedido foi formulado numa carta ao presidente do Comité de Sanções das Nações Unidas responsável pela Coreia do Norte, acompanhado por um resumo do relatório dos serviços de informações norte-americanos, dois documentos que foram esta quinta-feira obtidos pela agência noticiosa France-Presse (AFP).

“Pedimos ao Comité 1718 que publique uma nota verbal urgente a todos os Estados-membros e um comunicado de imprensa para os informar e ao grande público que a Coreia do Norte violou as quotas de importação de petróleo refinado para 2018 fixadas pela resolução 2397”, sublinha a carta.

Este Comité “deve ordenar a interrupção imediata de todas as transferências de petróleo refinado com destino à Coreia do Norte”, acrescenta a missiva norte-americana, que também exige um esforço acrescido dos Estados-membros contra as transferências ilícitas em alto mar de produtos petrolíferos.

A exigência norte-americana é sustentada por um relatório dos serviços secretos dos Estados Unidos, transmitido ao Comité de sanções e que inclui fotos de transferências ilícitas de cargas em pleno mar.

Segundo o relatório, estas transferências estão a decorrer a um nível mais intenso e contrariam as informações divulgadas nos últimos meses.

“As nossas informações sugerem que entre 01 de janeiro e 30 de maio, petroleiros que fizeram escala num porto da Coreia do Norte por pelo menos 89 vezes para notoriamente transferirem produtos petrolíferos refinados adquiridos de forma ilícita através de transferências” no mar, indica um resumo deste relatório norte-americano transmitido ao Comité de sanções.

“Se cada um destes petroleiros transferiu o que poderá ser um terço das suas capacidades, o volume global das entregas ultrapassa as quotas anuais autorizadas pela ONU de 500.000 barris por ano”, acrescenta o texto.

O Conselho de Segurança da ONU aprovou em 2017 três pacotes de duras sanções contra a Coreia do Norte, em retaliação pelo prosseguimento dos seus programas de armamento nuclear e convencional.

Entre as medidas aprovadas inclui-se a limitação em 2018 das exportações de petróleo refinado com destino a Pyongyang.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O ministro das Finanças e presidente do Eurogrupo, Mário Centeno. 
(ANTÓNIO PEDRO SANTOS/LUSA)

Défice encolhe para os 576 milhões de euros até agosto

Pedro Marques, ministro do Planeamento e das Infraestruturas. Fotografia: Sara Matos / Global Imagens

“Não há ninguém condenado” no caso da compra da VEM

TDT

Anacom quer ver resolvidos problemas da TDT antes da migração para 5G

Outros conteúdos GMG
EUA pedem à ONU que pare de exportar petróleo para a Coreia do Norte