Moeda

Euro cai face ao dólar para mínimos desde setembro

(Foto: Unsplash)
(Foto: Unsplash)

O euro estava hoje a cair, pela sétima sessão consecutiva, para níveis mínimos desde setembro face ao dólar, que se mantém forte por ser considerado um investimento seguro em momentos de incerteza.

A moeda única estava a ser trocada, cerca das 8:40 TMG, a 1,0908 dólares, contra 1,0924 dólares nas últimas horas da negociação europeia do mercado de divisas de segunda-feira.

Os receios do contágio do coronavírus continuam a beneficiar o “bilhete verde”, que se considera um investimento seguro.

Analistas do UniCredit citados pela Efe consideram que a queda do euro não é uma surpresa, tendo em conta a deterioração dos indicadores económicos da zona euro, como os da produção industrial na Alemanha e em Itália, enquanto “a imagem é mais brilhante nos Estados Unidos”, onde os dados do mercado laboral são animadores.

Até agora, os dados económicos publicados não refletem o possível impacto negativo do coronavírus, já que estes serão disponibilizados em finais de fevereiro e início de março.

O nível entre 1,09 e 1,0890 dólares é crítico porque representa a taxa de câmbio mínima de setembro passado.

Se o euro cair abaixo deste nível, a pressão vendedora poderá aumentar para o nível 1,08 dólares, defendem os analistas do Unicredit.

O mercado vai estar atento hoje à comparência da presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde, no Parlamento Europeu e à do presidente da Reserva Federal dos Estados Unidos (Fed), Jerome Powell, no Congresso.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Lisboa-19/12/2019  - Conferencia de Antonio Mexia ,CEO da EDP. 
(PAULO SPRANGER/Global Imagens)

Chinesa CTG vende 1,8% da EDP

(A-gosto.com/Global Imagens).

PSD indisponível para viabilizar alteração à lei para aeroporto do Montijo

O ministro de Estado e das Finanças, Mário Centeno. JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

Novo Banco: Estado como acionista só dilui posição do Fundo de Resolução

Euro cai face ao dólar para mínimos desde setembro