formação

Executivos vão melhorar capacidades de liderança com treino intensivo no mar

Coimbra Business School. D.R.
Coimbra Business School. D.R.

Nova formação da Coimbra Business School conta já com 28 inscrições

Executivos vão poder melhorar as suas capacidades de liderança através de um treino intensivo no mar, a realizar no final de maio, no âmbito de uma formação promovida pela Coimbra Business School.

Segundo o presidente da Coimbra Business School, Pedro Costa, esta formação inovadora de executivos “vai combinar a biomimética aplicada à liderança, com origem na Universidade da Califórnia, e os estudos do MIT (Massachusetts Institute of Technology) relacionados com a neurociência”.

O curso “LeaderShip – Liderança e Alto Desempenho” terá 60 horas, 45 das quais serão passadas no mar a bordo de uma embarcação que recria as condições de uma caravela quinhentista.

“Não há nada semelhante em Portugal. É um curso num ambiente hostil, ainda que controlado”, disse Pedro Costa à agência Lusa, acrescentando que já houve 28 inscrições.

Como se trata de uma formação “mais orientada e mais personalizada, que poderá ter, no máximo, 15 pessoas”, a Coimbra Business School pretende fazer uma segunda edição, avançou.

Esta formação, que será apresentada na quarta-feira, resulta de uma parceria entre a Coimbra Business School e a rede de escolas do DeROSE Method, com especialistas em desempenho, liderança e acompanhamento de executivos e respetivas equipas.

No entender de Ana Paula Queiroga, especialista na área da liderança e uma das coordenadoras do curso, “o treino de mar é um excelente exemplo de desenvolvimento pessoal, de disciplina e do espírito de equipa”.

A especialista considera que é uma mais valia “transpor as características do treino de mar para o processo de liderança”, no qual os líderes “têm regras para cumprir, uma equipa para gerir e relações de tensão para mediar”.

Ana Paula Queiroga explicou à Lusa que o curso tem dois diferenciais: o primeiro relacionado com a experiência do treino de mar da Marinha e o segundo com a metodologia, porque “é a primeira vez que se associam os métodos da biomimética aplicada à liderança e da neurocirurgia aplicada à liderança”.

O rigor comportamental, a gestão do esforço e de conflitos e o desenvolvimento das capacidades de autoliderança, gestão de equipas e de tomada de decisão são alguns dos objetivos.

Os principais responsáveis pela formação são Ana Paula Queiroga (doutorada em gestão), o comandante Carlos Cardoso da Silva (especialista no treino de mar) e a investigadora da Universidade Católica Sónia Ribeiro, que irá elaborar um artigo científico sobre a dinâmica e imersão experiencial deste grupo de gestores.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Foto: JOAO RELVAS / LUSA

Desemprego registado volta a crescer em agosto, supera 409 mil inscrições

Fotografia: Fábio Poço/Global Imagens

AL perdeu quase 3000 casas em Lisboa e Porto. Oferta para arrendar cresce

Manuel Heitor, ministro do Ensino Superior.
(PAULO SPRANGER/Global Imagens)

Alunos vão pagar até 285 euros para ficar em hotéis e alojamento local

Executivos vão melhorar capacidades de liderança com treino intensivo no mar