Comércio internacional

Exportações aceleraram 4,6% em fevereiro

( Natacha Cardoso/ Global Imagens )
( Natacha Cardoso/ Global Imagens )

Crescimento das importações abrandou, mas mantém-se acima do das vendas ao exterior desde outubro.

As vendas portuguesas de bens ao exterior aumentaram em fevereiro 4,6%, em termos homólogos, com o crescimento das importações no mês mais curto do ano a abrandar para 12,8%, face aos 15,9% de janeiro, indicam dados do Instituto Nacional de Estatísticas divulgados esta terça-feira.

O volume de exportações atingiu em fevereiro 4,8 mil milhões de euros. Já as importações, que crescem acima das exportações desde o passado mês de outubro, atingiram 6,3 mil milhões de euros. O défice da balança comercial atingiu neste mês 1,5 mil milhões de euros, mais 504 milhões de euros do que o registado fevereiro do ano passado, com a taxa de cobertura das exportações sobre as importações a recuar de 78,4% para 73,7%.

A nota do INE destaca o contributo das vendas dentro do mercado único europeu para o crescimento das exportações. As vendas dentro da UE subiram 4,4%. Já as exportações para mercados terceiros aumentaram 5,3% no segundo mês deste ano.

No principal mercado externo para os bens portugueses, Espanha, o aumento de vendas ficou-se pelos 0,7%. Já as compras ao vizinho ibérico cresceram 9,1%.

Para França, a subida de exportações foi de 1,2% (aumento de 2,9% nas importações), e para a Alemanha de 4,9% (mais 17,1% de compras por Portugal). O ainda quarto maior mercado-destino de exportações, o Reino Unido, manteve um crescimento de 3,4%. As vendas ao país subiram 1,6%.

Nas vendas de material de transporte, segunda maior rubrica de exportação nacional, a subida foi de 14,1%, abaixo do crescimento verificado nas importações destes bens, de 19,3%. Destacam-se aumentos acima dos 30% nas compras ao exterior de componentes automóveis e de outro material de transporte, em ambos os casos a superarem as exportações.

Em fevereiro, Portugal acelerou também as compras de bens de investimento (15,5%) e de bens agroalimentares (11,5%) a outros países, rubricas onde as exportações cresceram apenas 7% e 1,4%.

As vendas de combustíveis, por outro lado, voltaram a recuar, caindo 32,6, com as importações a aumentarem 8,9%.

Nos bens de consumo, única rubrica onde Portugal manteve excedente comercial em fevereiro, as exportações cresceram 5,9%, ao passo que as importações se expandiram em 10,8%.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Visita de Angela Merkel à Bosch, em Braga. A chanceler alemã foi
acompanhada pelo primeiro-ministro, António Costa.
Fotografia: Artur Machado/ Global Imagens

O país aguenta uma nova crise? Agências de rating divididas

Lisboa, 19/7/2019 - Eduardo Marques, Presidente da AEPSA- Associação das Empresas Portuguesas para o Sector do Ambiente-  uma associação empresarial, criada em 1994, que representa e defende os interesses coletivos das empresas privadas com intervenção no setor do ambiente,
(Reinaldo Rodrigues/Global Imagens)

Eduardo Marques. “Há um grande espaço para aumentar as tarifas da água”

Fotografia: Gleb Garanich/ Reuters.

Greve: Ryanair diz que não houve cancelamento de voos esta manhã

Outros conteúdos GMG
Exportações aceleraram 4,6% em fevereiro