Exportações de têxteis e vestuário caíram quase 8% até fevereiro para 823 milhões de euros

Só em fevereiro, as exportações registaram uma quebra de 5%, em comparação com o mesmo mês de 2020, para 414 milhões de euros.

As exportações de têxteis e vestuário cederam quase 8%, nos dois primeiros meses do ano, em comparação com o período homólogo, para 823 milhões de euros, anunciou esta sexta-feira a Associação Têxtil e Vestuário de Portugal (ATP).

"Nos primeiros dois meses do ano, o valor das exportações ascendeu a 823 milhões de euros, menos 7,7% face ao mesmo período de 2020", indicou, em comunicado, a ATP, citando dados do Instituto Nacional de Estatística (INE).

Só em fevereiro, estas exportações registaram uma quebra de 5%, em comparação com o mesmo mês de 2020, para 414 milhões de euros.

As exportações do setor começaram a recuar em fevereiro de 2020 (menos 1,3%), impactadas pela disrupção da cadeia de abastecimento, o que se intensificou nos meses seguintes devido às medidas de confinamento para travar a propagação da covid-19.

Entre janeiro e fevereiro, as exportações de matérias-primas têxteis perderam 4,6%, enquanto as de vestuário diminuíram quase 12%.

Por sua vez, as de têxteis-lar e outros artigos têxteis confecionados, como máscaras, cresceram 5%.

"Em termos de destino, destaque para as exportações para França, com um acréscimo de 10 milhões de euros, correspondente a um aumento de 8%", adiantou.

As exportações para Espanha, por seu turno, retrocederam 23%, ou seja, 58 milhões de euros.

Espanha representa agora 24% das exportações do setor, seguida por França com 16%.

Já as importações do setor, até fevereiro, desceram 30%, com as matérias-primas a contraírem cerca de 18%, o vestuário 45% e os têxteis-lar e outros artigos confecionados a avançarem 26%.

O saldo da balança comercial, entre janeiro e fevereiro, foi de 307 milhões de euros, com uma taxa de cobertura de 159%.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de