Exportações perdem força durante 2012 e fecham ano a cair

Combustíveis ajudam exportações
Combustíveis ajudam exportações

As exportações portuguesas estão a desacelerar a olhos vistos. No mês de dezembro, as saídas de bens caíram 18,2% face ao mês anterior, factor que já se verifica pelo terceiro mês consecutivo. Houve uma redução da procura de quase todos os produtos, especialmente nos veículos e outros materiais de transporte, bem como nas máquinas e aparelhos. Face ao mesmo período do ano passado, as exportações diminuíram 3,2%, devido a uma redução do comércio intra-UE, revela hoje o INE.

Ainda assim, no quarto trimestre de 2012, as saídas aumentaram 1% e as entradas diminuíram 3%, face ao período homólogo do ano anterior. Esta evolução determinou um desagravamento do défice da balança comercial em 533,7 milhões de euros.

A taxa de cobertura situou-se em 81,2%, o que corresponde a uma melhoria de 3,2 pontos percentuais face à taxa registada no mesmo período de 2011. No ano de 2012 as saídas aumentaram 5,8% e as entradas diminuíram 5,4% face a 2011.

Comércio intra-UE justifica quedaEm dezembro 2012, as expedições na UE diminuíram 5,7% face ao mês homólogo de 2011. A contribuir para isto está a redução da procura de veículos e outro material de transporte, especialmente automóveis de passageiros e veículos automóveis para transporte de mercadorias. As chegadas registaram uma redução de 11,2%, em especial devido às máquinas e aparelhos e aos veículos e outro material de transporte.

Em relação ao mês anterior, as expedições diminuíram 21,7% em dezembro 2012, devido sobretudo à evolução negativa registada nos veículos e outro material de transporte. As chegadas diminuíram 11,5%, em resultado dos decréscimos que se verificaram em quase todos os grupos de produtos.

No quarto trimestre do último ano, tanto as exportações como as entradas diminuíram, respetivamente 2,5% e 5%, face ao período homólogo.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O ensino profissional é uma das áreas em que Portugal se posiciona pior na tabela do IMD World Talent Ranking 2019. Fotografia: Miguel Pereira/Global Imagens

Portugal é 23º no ranking mundial de talento. Caiu seis posições

O ensino profissional é uma das áreas em que Portugal se posiciona pior na tabela do IMD World Talent Ranking 2019. Fotografia: Miguel Pereira/Global Imagens

Portugal é 23º no ranking mundial de talento. Caiu seis posições

NUNO VEIGA / LUSA

Governo apresentou queixa contra 21 pedreiras em incumprimento

Outros conteúdos GMG
Exportações perdem força durante 2012 e fecham ano a cair