Money Conference

Faria de Oliveira: OE não dá resposta suficiente para atração de investimento

A carregar player...

O presidente da Associação Portuguesa de Bancos defendeu que o país tem “talento e competência” para tirar partido da quarta revolução industrial.

Mas diz que “temos de ter mais iniciativa empresarial e empresas com alguma escala sediadas no nosso país”: Outras das condições necessárias, na perspetiva de Faria de Oliveira, são “políticas públicas” e “reformas estruturais” que permitam “atrair investimento”.

E avalia que a proposta do Orçamento do Estado para 2019 “não dá resposta suficiente”. Em relação ao crescimento económico e à evolução do défice, o líder da associação que representa os bancos diz que são positivos. Mas coloca os números de 2017 em perspetiva.

“O défice continua a ser um dos mais elevados da União Europeia e a dívida pública é a terceira maior em percentagem do PIB”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Caixa Geral de Dep—ositos -

Sete dos créditos de risco da CGD tiveram perdas de 100%

Operadores da Groundforce onde a operação da empresa de ‘handling’ Groundforce inclui números como cinco minutos e 400 toneladas, mas também o objetivo de chegar ao fim de 2019 com 3.600 colaboradores, aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, 22 de janeiro de 2018. Para que os aviões estejam no ar, a Groundforce faz toda a assistência em terra, excetuando o fornecimento de comida e de combustível, como resume o presidente executivo da empresa, Paulo Neto Leite, numa visita guiada aos ‘bastidores’ do Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa. MÁRIO CRUZ/LUSA

Com o aeroporto de Lisboa “no limite”, Groundforce exige à ANA que invista já

(Rui Oliveira / Global Imagens)

Quota de mercado dos carros a gasóleo cai para mínimos de 2003

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Faria de Oliveira: OE não dá resposta suficiente para atração de investimento