Covid-19

Fecho de fronteira Portugal-Espanha depende de decisão conjunta

Foto: D.R.
Foto: D.R.

O ministro dos Negócios Estrangeiros português diz que um encerramento das fronteiras com Espanha devido à covid-19 é sempre uma decisão conjunta, adiantando que analisará essa e outras questões sexta-feira com a sua homóloga espanhola.

“Temos trabalhado de forma muito coordenada com as autoridades espanholas”, disseo chefe da diplomacia portuguesa, Augusto Santos Silva, assinalando que, quando esta esteve encerrada ao trânsito normal de pessoas, foi “por decisão conjunta dos dois Estados”.

Questionado sobre a necessidade de uma nova limitação à mobilidade entre os dois países, depois de as autoridades espanholas terem anunciado, na segunda-feira, 27.404 novos casos desde sexta-feira, Augusto Santos Silva sublinhou que as decisões recaem sobre os ministros da Administração Interna de Portugal e do Interior de Espanha e que o assunto será debatido nas próximas semanas.

“Eu terei o prazer de receber a minha colega espanhola [Arancha González Laya] na próxima sexta-feira, dia 18. Teremos depois a cimeira bilateral entre os dois países, no dia 02 de outubro, e, naturalmente, essas são oportunidades para nós trocarmos informação sobre o modo como estamos a acompanhar a evolução da pandemia e das medidas que todos estamos a tomar para combatê-la”, concluiu o ministro dos Negócios Estrangeiros português.

O ministro dos Negócios Estrangeiros português falou à margem da tomada de posse de Cristina Moniz para o cargo de vice-presidente do Conselho Diretivo do Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, uma cerimónia realizada esta tarde, na sede do instituto.

Espanha anunciou hoje 9.437 novos casos de covid-19 no seu território, ultrapassando os 600.000 casos desde o início da pandemia. Da mesma forma, as autoridades contabilizaram 156 novas mortes com a doença, elevando o número de óbitos para 30.004.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Fotografia: Arquivo/ Global Imagens

Transações de casas caíram 35,25% em abril. Preços começam a abrandar

(João Silva/ Global Imagens)

Estrangeiros compraram menos casas em Portugal em 2019. Preço por imóvel subiu

(JOSÉ COELHO/LUSA)

Cadeias de retalho contra desfasamento de horários. Aguardam publicação da lei

Fecho de fronteira Portugal-Espanha depende de decisão conjunta