Telecomunicações

Fibra ótica ultrapassa cabo como principal acesso à internet

Há mais clientes ligados à fibra óptica

A fibra ótica ultrapassou o modem cabo como principal forma de acesso à internet em banda larga fixa

A fibra ótica ultrapassou o modem cabo como principal forma de acesso à internet em banda larga fixa, num universo de 3,42 milhões de acessos à internet em local fixo existentes no final de março, revelou hoje a ANACOM.

“No final do primeiro trimestre de 2017 existiam cerca de 3,42 milhões de acessos à internet em local fixo, mais 44 mil acessos do que no trimestre anterior, e a fibra ótica ultrapassou o modem cabo como a principal forma de acesso à internet em banda larga fixa, sendo responsável por 34% dos acessos, contra 33,1% do cabo”, destacou em comunicado a Autoridade Nacional de Comunicações (ANACOM).

Os restantes acessos à Internet em banda larga fixa eram suportados em ADSL (25,2%) e LTE em local fixo (7,5%).

“A fibra ótica é a tecnologia que mais tem contribuído para o crescimento do número de acessos, ao registar aumentos superiores a 50 mil acessos por trimestre desde o início de 2015”, sublinhou a entidade.

No período em análise, o número de utilizadores que efetivamente utilizaram internet em banda larga móvel subiu para 6,5 milhões, mais 0,3% em relação ao trimestre anterior e mais 17,3% face ao trimestre homólogo.

Em termos de quotas de acessos fixos, a MEO continua a liderar, com 40,1%, menos três pontos percentuais do que no período homólogo.

Segue-se o Grupo NOS com uma quota de 37,7% (mais 0,8 pontos percentuais em termos homólogos) e a Vodafone com 17,7% (foi o operador cuja quota mais subiu, 2,2 pontos percentuais).

O Grupo Apax, que detém a Nowo e a ONI, manteve a sua quota nos 4,2%.

No caso da banda larga móvel, a quota de clientes ativos da MEO era de 38,9%, seguindo-se a NOS e a Vodafone com 32,7% e 27,4%, respetivamente. A Nowo, que lançou ofertas comerciais de serviço de banda larga móvel em abril de 2016, tinha uma quota de 0,8%.

O tráfego médio mensal por acesso à internet em banda larga fixa foi de 63,4 GB. No caso da banda larga móvel com utilização efetiva, o tráfego gerado por cliente foi de 2,1 GB por mês (10,4 GB por mês no caso de ‘tablet’/PC).

No primeiro trimestre, as receitas provenientes do serviço de acesso à internet fixo ‘stand-alone’ e de pacotes de serviços que incluem este serviço totalizaram cerca de 445,1 milhões de euros (um crescimento homólogo de 6,8%).

Já os acessos à internet móvel geraram receitas de 86,8 milhões no 1º trimestre de 2017, um valor superior em 6,4% ao registado no primeiro trimestre de 2016.

Estes são os destaques relativos aos principais indicadores que constam no relatório estatístico sobre o serviço de acesso à internet relativo ao 1.º trimestre deste ano hoje publicado pela ANACOM.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Ana Avoila, coordenadora da Frente Comum de Sindicatos da Função Pública. Fotografia: Orlando Almeida/Global Imagens

Precários do Estado com menos de três anos de serviço vão ter concurso próprio

Maria Helena Rodrigues, presidente do STE

Precários: “Não é claro” como ficam trabalhadores mais qualificados, diz STE

Mario Draghi, no Fórum BCE 2017. Fotografia: Banco Central Europeu

Draghi. “A Europa precisa de um sucesso como o MIT”

Outros conteúdos GMG
Conteúdo Patrocinado
Fibra ótica ultrapassa cabo como principal acesso à internet