Contas Públicas

Finanças destacam período de crescimento mais sustentável das últimas décadas

O ministro das Finanças, Mário Centeno. Fotografia: JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA
O ministro das Finanças, Mário Centeno. Fotografia: JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

Ministério das Finanças indica que resultados são de uma "importância vital para a sustentabilidade da economia portuguesa".

O ministério das Finanças reagiu de forma positiva aos dados publicados, esta segunda-feira, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). O gabinete estatístico reviu em baixa o défice orçamental de 2018, de 0,5% para 0,4% do Produto Interno Bruto (PIB). “Estes resultados de melhoria da situação externa da economia são de uma importância vital para a sustentabilidade da economia portuguesa”, afirma o ministério tutelado por Mário Centeno, em nota de imprensa.

“Isto acontece num contexto do maior crescimento do investimento das duas últimas décadas. O aumento do investimento, que quase duplicou em 2019 face ao período de crise económica, está associado à importação de bens de capital, que justificam dois terços da aceleração das importações nos últimos semestres.”

O ministério afirma que o “ciclo virtuoso” de reequilíbrio externo não foi interrompido, antes pelo contrário, “apresenta características saudáveis para o crescimento futuro da economia portuguesa.”

No que diz respeito ao peso dos impostos na economia, que caiu, as Finanças indicam que o valor vai ao encontro de outras análises sobre o esforço fiscal, “tal como a do Banco de Portugal, que mostra uma redução do esforço fiscal por via de medidas legislativas de 0,5 p.p. do PIB potencial.”

“Com os dados preliminares de 2018, o peso dos impostos ter-se-á situado em 25,3% do PIB, uma revisão em baixa de 0,4 p.p. face à anterior estimativa (25,7%). No entanto, face às sucessivas revisões das contas nacionais, a leitura deste número pode vir a sofrer alterações devendo ser interpretada com cautela.”

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Vista aérea da Praça dos Restauradores em Lisboa, Portugal, 24 Março de 2020. ANTÓNIO COTRIM/LUSA

A economia entrou em estado de quarentena

Lisboa, 10/05/2019 - Vida do Dinheiro (DN-TSF) - Isabel Furtado, presidente da Cotec e da TMG.
Isabel Furtado
(Gerardo Santos / Global Imagens)

Covid-19: “Medidas têm de ser estratégicas e não apenas imediatas e impulsivas”

Ursula  von der Leyen, presidente da Comissão Europeia. Fotografia: Kenzo Tribouillard/AFP

Comissão Europeia vai rever proposta de orçamento da UE

Finanças destacam período de crescimento mais sustentável das últimas décadas