Finanças retomam caça a quem tem selos do carro em atraso

ng3092910

Desaparecidos os efeitos da forte afluência que as
notificações para pagamento do imposto único de circulação (IUC)
tiveram nas repartições de Finanças, a administração fiscal
prepara-se para novo ciclo de envios para audição prévia dos
contribuintes que poderão não ter regularizado a sua situação de
2009 em diante.

O que fazer para travar as multas. Leia aqui

Por enviar estão cerca de 2,6 milhões de notificações
relativas aos anos de 2009 a 2012 e o presidente do Sindicato dos
Trabalhadores dos Impostos (STI) receia que possa assistir-se de novo
a um cenário caótico, como o que se viveu no início de julho,
quando cerca de 1,6 milhões de contribuintes receberam o aviso para
pagarem o IUC.

A forte concentração nos envios então registada, a afluência
às repartições de Finanças e algumas falhas do sistema
informático levaram o diretor-geral da Autoridade Tributária a
suspender a saída de notificações até que a situação ficasse
normalizada. Foi ainda decidido aumentar dez dias (de 15 para 25) o
prazo para audição prévia – em que o contribuinte pode provar que
já pagou ou que naquela data já não tinha o carro em seu nome.

A intervenção de Azevedo Pereira travou os cerca de 2,6 milhões
de notificações que agora deverão começar a chegar. Paulo Ralha,
do STI afirma que um dos problemas é estarem a abranger-se situações
de quatro anos, em vez de se tratarem apenas os casos de 2009 que são
os que podem prescrever.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O primeiro-ministro, António Costa. JOÃO RELVAS/POOL/LUSA

Governo cria complemento salarial até 350 euros para trabalhadores em lay-off

O primeiro ministro, António Costa, fala aos jornalistas durante a conferência de imprensa, 04 junho 2020, realizada no final da reunião do Conselho de Ministros, no Palácio da Ajuda, em Lisboa.     MANUEL DE ALMEIDA / POOL/LUSA

Banco de Fomento para Portugal com “aprovação provisória”

O primeiro ministro, António Costa, fala aos jornalistas durante a conferência de imprensa realizada no final da reunião do Conselho de Ministros, no Palácio da Ajuda,  em Lisboa, 29 de maio de 2020. O Governo decidiu adiar a passagem para a terceira fase de desconfinamento na Área Metropolitana de Lisboa e criou regras especiais, sobretudo em atividades que envolvem “grande aglomerações de pessoas”.  MANUEL DE ALMEIDA/POOL/LUSA

Trabalhadores em lay-off passam a receber entre 77% e 92% do salário

Finanças retomam caça a quem tem selos do carro em atraso