FMI. Apoio a Angola pode chegar a quatro mil milhões de euros

Pacote financeiro visa a diversificação da economia angolana e ainda não começou a ser discutido

O apoio financeiro do Fundo Monetário Internacional a Angola poderá chegar aos 4,5 mil milhões de dólares, cerca de quatro mil milhões de euros. O valor, que corresponde a um período de três anos, insere-se no programa de assistência que está a ser negociado e foi avançado pelo chefe da missão presente em Luanda.

O economista brasileiro Ricardo Velloso falava aos jornalistas na conferência final desta missão do Fundo Monetário Internacional (FMI) que está em Angola desde 01 de junho, para negociar este programa de assistência.

Embora salientando que o envelope financeiro deste programa, que visa diversificar a economia angolana face à crise petróleo, não foi ainda discutido nestas reuniões com o Governo, recordou que no caso de Angola o envelope financeiro pode chegar a 1.500 milhões de dólares (1.331 milhões de euros) por ano, a três anos, tendo em conta a quota do país no FMI.

Disse ainda que em circunstâncias excecionais é possível aumentar o valor em função da quota, admitindo que não será o caso angolano, e que o pagamento do empréstimo por Angola pode ser até 10 anos.

As conversações entre o FMI vão prolongar-se durante o segundo semestre do ano.

Contudo, tendo em conta a subida da cotação do petróleo no mercado internacional, face aos valores quando o pedido de assistência foi apresentado por Angola, disse ser necessário que o Governo clarifique se mantém o interesse.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de