FMI

FMI. Dívida mundial atinge máximo histórico de 162 biliões de euros

gaspar fmi contas públicas défice dívida
Vítor Gaspar, ministro das Finanças de Passos Coelho, hoje um dos diretores do FMI. Fotografia: Nuno Pinto Fernandes/Global Imagens

Dívida total (pública e privada) mundial equivale a 225% do PIB global. Em média, cada pessoa deve 76 mil euros. Maiores fardos: EUA, China e Japão.

O total de dívida pública e privada mundial (190 países) subiu para o valor mais alto de que há registo, em 2017. Segundo um estudo do Fundo Monetário Internacional (FMI) divulgado esta quinta-feira, a dívida de todos os países do planeta “atingiu um recorde de 184 biliões [milhões de milhões] de dólares”. A preços atuais, equivale a 162 biliões de euros.

Ao incluir as informações relativas aos empréstimos contraídos por soberanos e privados de todo o mundo, esta base de dados “oferece uma imagem sem precedentes da dívida global no período pós-Segunda Guerra Mundial”, afirma a nota de apresentação do novo estudo do FMI.

“Segundo a atualização, a dívida global atingiu um recorde histórico de 184 biliões de dólares em termos nominais ou o equivalente a 225% do produto interno bruto (PIB) em 2017.”

Fonte: FMI

Fonte: FMI

Significa que, “em média, a dívida mundial ultrapassa agora os 86 mil dólares por pessoa [76 mil euros]”, ou seja, “é 2,5 vezes maior do que o rendimento médio per capita”, calcula o Fundo.

As economias mais endividadas do mundo são “Estados Unidos, China e Japão” e, somadas, as suas dívidas “equivalem a mais da metade da dívida global”, superando largamente o PIB conjunto.

Números revistos em alta

O FMI revela ainda que os cerca de 162 biliões de euros agora revelados foram revistos em alta face a outubro.

Este valor “é 2 biliões de dólares [1,8 biliões de euros] superior ao número estimado durante a conferência de imprensa do Monitor Orçamental (Fiscal Monitor), em outubro de 2018, porque inclui dados do final de 2017 e dívidas de vários países que não tinham comunicado os seus dados atualizados” até essa altura, explicam os autores.

O Monitor Orçamental é uma das publicações charneira da instituição dirigida por Christine Lagarde, sendo da responsabilidade do antigo ministro das Finanças português, Vítor Gaspar, atualmente diretor de assuntos orçamentais no FMI e especialista em questões de dívida.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Carlos Costa, Governador do Banco de Portugal

BES: Processos contra Banco de Portugal caem para metade

O primeiro-ministro, António Costa, gesticula durante o debate quinzenal na Assembleia da República, em Lisboa, 19 de março de 2019. ANTÓNIO COTRIM/LUSA

António Costa: “Portugal vai continuar a crescer acima da média europeia”

Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/ LUSA

Rendas na energia: João Matos Fernandes encontrou “ambiente crispado”

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
FMI. Dívida mundial atinge máximo histórico de 162 biliões de euros