PALOP

FMI: Foco de Portugal esteve na cooperação com os PALOP

Teresa Ribeiro, secretária de Estado dos Negócios Estrangeiros

Teresa Ribeiro disse que uma das questões a debater em Washington era saber a opinião do FMI sobre as economias dos PALOP.

A secretária de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação disse esta segunda-feira que uma das questões em debate em Washington era conhecer a opinião do FMI sobre as economias dos PALOP e atualizá-los sobre a cooperação portuguesa.

“Temos uma grande cooperação económica e financeira com os Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) e é de todo o interesse que o Fundo Monetário Internacional (FMI) saiba o que nós estamos a fazer e como isso pode contribuir para o cumprimento de determinadas metas”, disse Teresa Ribeiro à Lusa, no final dos Encontros da Primavera, que terminaram hoje em Washington.

Durante a estadia na capital norte-americana, a governante tinha agendado encontros os vice-presidentes do Banco Mundial Mahmoud Mohieldin e Manuela Ferro, para além do vice-presidente da International Finance Corporation Sérgio Pimenta, para “explorar oportunidades de parceria com Portugal no domínio da cooperação para o desenvolvimento”.

Para Portugal, explicou Teresa Ribeiro, as reuniões com estas instituições financeiras “são úteis porque permitem a troca de informações que vão além das que transparecem nos comunicados de imprensa, e por outro lado permite fazer um exercício de advocacia sobre os PALOP e explicar o que estamos a fazer nas áreas da cooperação” com estes países.

Lembrando as regras financeiras e económicas do FMI, a governante acrescentou que Portugal “tem feito a advocacia destes países e explicado como nós olhamos e o que estamos a fazer em termos de estabilidade macroeconómica e cooperação em áreas financeiras” nos países africanos lusófonos.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O ministro das Finanças, Mário Centeno, intervém durante a  conferência "Para onde vai a Europa?", na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, 22 de março de 2019. MÁRIO CRUZ/LUSA

Próximo governo vai carregar mais 8 mil milhões em dívida face ao previsto

O ministro das Finanças, Mário Centeno, intervém durante a  conferência "Para onde vai a Europa?", na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, 22 de março de 2019. MÁRIO CRUZ/LUSA

Próximo governo vai carregar mais 8 mil milhões em dívida face ao previsto

Motoristas de matérias perigosas em greve concentrados na Companhia Logística de Combustiveis - CLC.
Fotografia: Paulo Spranger / Global Imagens

Combustíveis. Sindicato conseguiu mais 200 sócios com greve

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
FMI: Foco de Portugal esteve na cooperação com os PALOP