FMI: Não será possível aliviar impostos nos próximos anos

Abebe Selassie, chefe de missão do FMI
Abebe Selassie, chefe de missão do FMI

O FMI avisa que será difícil aliviar a carga fiscal portuguesa nos próximos anos. A instituição considera, no entanto, que é preciso reformar o sistema fiscal, nomeadamente ao nível da despesa (reembolsos por via dos benefícios deduções), cortando mais a este nível e tornando os incentivos mais efetivos e direcionados para o setor exportador.

O FMI considera que o ajustamento orçamental português ainda tem muito caminho pela frente e que é necessário mais debate público sobre opções de políticas que distribuam o esforço de forma justa e incentivadora do crescimento económico.

Na declaração final da Consulta do Artigo IV a Portugal, conhecida há minutos, o FMI refere ainda que a despesa pública, particularmente em salários e transferências sociais, foi reajustada ao fim de muitos anos. “O principal enfoque terá de passar agora pelo reforço da racionalização do setor público ao nível salarial e do emprego, bem como reformar o sistema de pensões e outras transferências sociais. O objetivo é criar serviços públicos mais eficientes”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Foto:  EPA/ANDY RAIN

Sem acordo pós-brexit, Portugal pode exportar menos cerca de 300 milhões

marcelo

Marcelo admite possível “problema europeu” mas sem fecho de fronteiras

Foto: D.R.

PSI20 cai 2,28%. Perdas na Europa continuam devido ao coronavírus

FMI: Não será possível aliviar impostos nos próximos anos