FMI: Não será possível aliviar impostos nos próximos anos

Abebe Selassie, chefe de missão do FMI
Abebe Selassie, chefe de missão do FMI

O FMI avisa que será difícil aliviar a carga fiscal portuguesa nos próximos anos. A instituição considera, no entanto, que é preciso reformar o sistema fiscal, nomeadamente ao nível da despesa (reembolsos por via dos benefícios deduções), cortando mais a este nível e tornando os incentivos mais efetivos e direcionados para o setor exportador.

O FMI considera que o ajustamento orçamental português ainda tem muito caminho pela frente e que é necessário mais debate público sobre opções de políticas que distribuam o esforço de forma justa e incentivadora do crescimento económico.

Na declaração final da Consulta do Artigo IV a Portugal, conhecida há minutos, o FMI refere ainda que a despesa pública, particularmente em salários e transferências sociais, foi reajustada ao fim de muitos anos. “O principal enfoque terá de passar agora pelo reforço da racionalização do setor público ao nível salarial e do emprego, bem como reformar o sistema de pensões e outras transferências sociais. O objetivo é criar serviços públicos mais eficientes”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Trump Xi China

Trump ameaça China. “Não precisamos deles, esta é uma grande oportunidade”

Emmanuel Macron, presidente francês. Fotografia: Direitos Reservados

Fogos na Amazónia: França e Irlanda ameaçam bloquear acordo com Mercosul

O ministro do Ambiente e da Transição Energética, João Pedro Matos Fernandes, intervém durante uma conferência de imprensa para fazer o ponto de situação sobre a crise energética, no Ministério do Ambiente e da Transição Energética, em Lisboa, 13 de agosto de 2019. JOÃO RELVAS / LUSA

Ministro do Ambiente: “Há cada vez mais condições” para que greve não aconteça

Outros conteúdos GMG
FMI: Não será possível aliviar impostos nos próximos anos