combustíveis

Fosso de preços leva Governo a prometer desconto no gasóleo

Posto de combustível. Fotografia: Artur Machado/Global Imagens
Posto de combustível. Fotografia: Artur Machado/Global Imagens

Revendedores contra descontos só em alguns municípios e ACP critica medida dirigida a uma classe.

O preço médio do gasóleo espanhol é 15 cêntimos mais barato relativamente a Portugal, chegando aos 27 cêntimos por litro no caso da gasolina. Os dados da Comissão Europeia, relativos à última segunda-feira são indesmentíveis quanto ao fosso de preços e o problema agravou-se a 12 de fevereiro, quando o Governo aumentou o Imposto Sobre Produtos Petrolíferos (ISP) em seis cêntimos por litro. A solução foi propor aos camionistas descontos junto à fronteira.

A fuga de impostos para Espanha tornou a situação insustentável para o Governo. Há estimativas que apontam para uma perda de receita fiscal, por via do ISP não cobrado, de 1680 milhões de euros anuais, sobretudo devido aos pesados de mercadorias que aproveitam a deslocação para abastecer no país vizinho.

O Executivo decidiu então que o gasóleo vai ser mais barato para os transportadores (acima de 35 toneladas) em todos os postos de combustível situados nos municípios de Elvas, Vilar Formoso (Almeida) e Bragança. Os locais servirão de experiência-piloto e o Governo pretende apenas notificar a Comissão Europeia, não pedindo, portanto, autorização.

A Associação Nacional de Revendedores de Combustíveis (ANAREC) não foi consultada e, em declarações ao Dinheiro Vivo, Francisco Albuquerque, vice-presidente, levantou dúvidas quanto à legalidade de só permitir descontos no combustível em determinados municípios. Idêntica posição teve o Automóvel Club de Portugal (ACP). “Quando o ACP manteve reuniões em Bruxelas, por causa dos combustíveis simples, os responsáveis pela Concorrência da União Europeia explicaram que não era possível criar grandes diferenciações que distorcessem a concorrência dentro do mesmo país, pelo que admitimos que o que o Governo agora prometeu aos camionistas será muito difícil de fazer passar a nível europeu”, disse Carlos Barbosa, em declarações ao jornal “Sol”.

As associações e o Governo voltam a reunir-se no dia 16 de maio para acertarem mais pormenores desta experiência cujo arranque está previsto para o mês de julho.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Fotografia: Nacho Doce/Reuters

Obrigações. Lesados da PT Finance vão processar bancos

Mario Draghi

BCE mantém taxas de juro e programa de compra de ativos inalterados

Rosa Cullel, CEO da Media Capital

Dona da TVI com lucros de 1,9 milhões até março

Outros conteúdos GMG
Conteúdo Patrocinado
Fosso de preços leva Governo a prometer desconto no gasóleo