Coletes amarelos

França suspende aumento dos impostos sobre combustíveis

Neste último sábado, os protestos foram particularmente violentos em Paris.  Fotografia: EPA/Etienne Laurent
Neste último sábado, os protestos foram particularmente violentos em Paris. Fotografia: EPA/Etienne Laurent

Após três semanas de bloqueios e manifestações em todo o território francês, o Governo decidiu suspender o aumento dos impostos sobre combustíveis

O primeiro-ministro francês, Édouard Philippe, confirmou, durante uma reunião com deputados, uma suspensão do aumento dos impostos sobre os combustíveis, uma grande reivindicação dos “coletes amarelos”, disseram à agência de notícias AFP participantes na reunião.

“Devemos apaziguar a situação para evitar que se degenere”, disse esta terça-feira o primeiro-ministro, que fará uma declaração ainda hoje sobre o assunto na televisão francesa, segundo a mesma fonte.

“A moratória não colocará em questão a ambição da transição ecológica. Um imposto não é uma reforma, mas um meio de reforma”, argumentou o chefe de governo.

O anúncio desta baixa nos impostos, que o executivo até agora rejeitou fortemente, acontece depois de três semanas de bloqueios e manifestações violentas em todo o território francês, que culminaram com cenas de tumultos em Paris no sábado.

“Precisamos de dar aos franceses uma razão para recuperar o juízo”, disse Philippe.

“O que constatamos nas últimas três semanas?”, questionou o primeiro-ministro, de acordo com a fonte.

“Nós vemos surgir na França uma raiva profunda que vem de longe, que há muito tem sido escondida por pudor e orgulho. Agora, é expressada de forma coletiva. A raiva dos franceses que sentem que estão voltados contra uma parede, que trabalham e não querem ser relegados”, declarou.

O debate sobre a crise dos “coletes amarelos” na Assembleia Nacional, na quarta-feira, será seguido por uma votação dos deputados que não implicará na responsabilização do Governo, referiu hoje fonte parlamentar à agência de notícias AFP.

Este debate sobre a “tributação ecológica e o seu impacto sobre o poder de compra” será realizado a partir das 15 horas (14 horas em Lisboa), em vez da tradicional sessão de perguntas ao Governo.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
boris johnson brexit

Brexit: Um acordo que responde “às circunstâncias únicas da Irlanda”

Álvaro Santos Pereira, ex-ministro da Economia, na comissão de inquérito do Parlamento sobre as rendas excessivas da eletricidade, Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Álvaro Santos Pereira ataca “corporativismo” de notários, advogados e arquitetos

Álvaro Santos Pereira, ex-ministro da Economia, na comissão de inquérito do Parlamento sobre as rendas excessivas da eletricidade, Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Álvaro Santos Pereira ataca “corporativismo” de notários, advogados e arquitetos

Outros conteúdos GMG
França suspende aumento dos impostos sobre combustíveis