Emprego

Franz Heukamp: Já não há empregos para a vida e isso “pode ser positivo”

Franz Heukamp, dean da IESE Business School
(Orlando Almeida / Global Imagens)
Franz Heukamp, dean da IESE Business School (Orlando Almeida / Global Imagens)

O 'dean' do IESE Business School defendeu a importância da aprendizagem ao longo da vida.

A era digital trouxe consigo mudanças tecnológicas que afetaram o modelo organizativo das empresas. Organizações, líderes e trabalhadores tiveram e têm de se ajustar a estas alterações.

“A nossa escola faz parte do processo. Ajudamos empresas e executivos a pensar sobre como implementar estas mudanças, tendo em conta a necessidade de compreender o que está a acontecer na sociedade”, disse Franz Heukamp, dean da IESE Business School, em conversa com o Dinheiro Vivo.

“A aprendizagem ao longo da vida é muito importante para o indivíduo em si, para que possa melhorar as suas capacidades, mas também para as empresas, para que possam pensar como melhorar as competências dos seus funcionários para que estes cresçam internamente”, salientou.

“Antes estudava-se até perto dos 25 anos, trabalhava-se 40 anos e aos 65 era hora da reforma”, exemplifica. “O que se tinha aprendido até aos 25 anos era válido até à idade da reforma. Hoje, os avanços tecnológicos deram origem a mudanças organizacionais e são necessárias novas competências. As pessoas têm de atualizar os seus conhecimentos e talvez até mudar de emprego.”

Apesar de a tecnologia ter um papel relevante nas empresas hoje em dia, “as competências mais procuradas atualmente não estão relacionadas diretamente com tecnologia mas sim com a capacidade de liderar equipas e motivar os pares na resolução de problemas”, diz Franz Heukamp.

Defendendo que as pessoas gostam da mudança e encaram-na como crescimento ao nível profissional, o dean do IESE defende que o facto de haver cada vez menos empregos para a vida não tem de ser um aspeto negativo. “É uma mudança positiva.”

Pela primeira vez em Portugal, Franz Heukamp marcou ainda presença na Web Summit, integrando um painel de discussão sobre como inspirar a próxima geração e criar uma nova forma de liderança na era digital. “É um encontro muito importante para as empresas tecnológicas e não só. É preciso juntar estas pessoas de tempos em tempos para que possam ouvir novas ideias e aprender mais.”

Para Franz Heukamp, “acolher o evento por mais 10 anos só demonstra o compromisso que a cidade de Lisboa está a tomar para se tornar numa referência mundial nos negócios tecnológicos.”

O IESE, escola de pós-graduação em gestão de empresas da Universidade de Navarra, aposta da formação de executivos há mais de 50 anos e estabelece parcerias com mais de 20 instituições internacionais da rede, como é o caso da AESE Business School, em Lisboa. A colaboração em rede traduz-se no intercâmbio de professores e elaboração de programas conjuntos.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Fotografia: Rodrigo Cabrita/Global Imagens

Idosos com isenção de mais-valias se aplicarem dinheiro em PPR

Cecília Meireles

CDS também quer IRS atualizado à taxa de inflação

Foto: Filipe Amorim/Global Imagens

“A banca não está a ajudar o Sporting na emissão obrigacionista”

Outros conteúdos GMG
Franz Heukamp: Já não há empregos para a vida e isso “pode ser positivo”